Em busca do timing perdido

Posts têm timing – para ser escritos, elaborados e publicados – e se a gente perde, quase sempre é irrecuperável. Por falta de tempo, por preguiça simples ou intempéries outras, às vezes deixamos passar uma idéia boa, ou pelo menos útil, e… babaus. O caderninho de anotações ajuda – não é, Sócia? – mas também prejudica quando nos dá a falsa impressão que o texto está pronto, quando temos só a foto tremida de um pensamento que passou voando na nossa frente. (Também há textos escritos ainda verdes, pré-maturos… mas falemos disso em outra ocasião. Deixa eu postar propriamente, senão perco o táimin de novo!)
Essa introdução toda serve pra dizer que as Megeras publicaram um post hoje sobre um erro crasso de tradução em uma matéria publicada na internet. O que me permitiu recuperar um post inacabado (portanto, recriando o táimin) sobre uma suposta boneca lésbica. Bombástico, não é? Pois é, assim acharam alguns blogueiros que reproduziram a notícia dada pelo portal Terra. Fizeram o que se pode esperar de um blogue, comentaram uma notícia, citando a fonte. Nenhum problema – ainda mais que, a rigor, de um blogue pode-se esperar qualquer coisa (e é o que faz deles canais tão atraentes).

Mas a notícia intrigou-me: queria saber como era essa boneca, como fora caracterizada, etc. Recorri então a São Google – que tudo sabe, tudo vê (Google é o meus pastor e nada etceterá). E muito rapidamente descobri que não se trata do que a matéria levava a crer. A empresa fabricante da boneca, American Girl, estava promovendo a campanha I Can, vendendo pulseiras (dessas plásticas e beneficentes que estão na moda) cuja renda se reverteria para a organização feminista Girls Inc que parece apoiar, entre outras coisas, a legalização do aborto e aceitação ampla das lésbicas na sociedade. Grupos conservadores americanos estavam propondo um boicote às bonecas da marca – ao que parece, bastante tradicionais no mercado americano. A revista Newsweek publicou um artigo mal-disfarçadamente conservador, lamentando que a política tenha alcançado também o mundo da diversão infantil.

Fiquei chocada com a diferença entre a notícia e o fato. Reafirmo que não com os blogues, que não têm compromisso com apuração e fizeram a sua parte corretamente, repassando suas fontes e permitindo que pentelhos como eu procurassem por mais dados. Mas o portal Terra, em sua seção de notícias – para o qual escrevi reclamando e até hoje não obtive resposta – se apresenta como uma fonte fidedigna de informação. A central de notícias Mix Brasil, que se pretende uma referência noticiosa para a comunidade e para a temática GLS, teve um pouco mais de cuidado ao divulgar a notícia, mas insistiu no erro de dizer que a empresa produziria uma boneca lésbica.

E não precisei de muito, de quase nada pra apurar; não precisava nem ser jornalista. Bastou uma consulta atenta ao Google e um inglês bem básico – nada que não deva estar disponível em qualquer central de notícias que assim se denomina.

Girls Inc: inspiring all girls to be

Helena Costa

Anúncios

Depois das festas…



Não pise aí… faz você chorar (TT)

Helê

%d bloggers like this: