Depoimento da minha amiga Denise, mãe excelente de duas meninas, quero ser igualzinha a ela quando eu crescer:
Esses dias fiquei olhando a B., que já tá com 9 anos. E fiquei pensando em como é que ela se criou? Chegou a esse tamanho?
Com toda a prioridade emocional que a gente dá pras meninas, fico com a impressão que eu crio elas nos intervalos. Do trabalho, da casa e outras necessidades e obrigações. E aí tá ela. Virando mulher.
E é em todos os momentos que ela foi se criando. Nos carinhos, nas brigas, nos sai daqui agora que eu tô trabalhando, nos não acredito que essa roupa ainda tá jogada aí, nos papos antes de dormir, nas experiências que eu não vou nunca saber que ela teve. No dia-a-dia.
É muito assustador saber que elas vão crescendo é no dia-a-dia e não em qualquer momento especial.
O nunca mais existe. Mas nem sempre assusta.

-Monix-

Anúncios
%d bloggers like this: