Eles por ele

Fato número 1: diante de uma bela mulher, todo homem, que já não é muito provido de inteligência natural, torna-se mais aparvalhado ainda. (…)

Fato número 2: diante de uma bela mulher, homens agem como insetos cegos que buscam o calor de uma luz, batendo com a cabeça em lâmpadas e paredes vez após vez, até que caiam estatelados no chão frio dos rejeitados. (…)

Fato número 3: poucas coisas causam tantos estragos neste mundo quanto uma mulher que possui plena consciência de sua beleza. E que se torna tanto mais perigosa à medida em que se compraz com o seu poder de fascínio perante os homens. Porque bastam um belo par de pernas e um sorriso sugestivo para que toda a nossa racionalidade seja aniquilada em um piscar de olhos.

Trechos d’A eterna Arapuca, texto inteligente e instigante sobre os homens, escrito pelo Alexandre Inagaki. (Eu adoro diarices dos meninos!)

Helê
Atualização: Trilha sonora do post: Garotos, do Leoni (muito bem sacado pela sempre perspicaz Vera G.)

Eles por ele


Fato número 1: diante de uma bela mulher, todo homem, que já não é muito provido de inteligência natural, torna-se mais aparvalhado ainda. (…)

Fato número 2: diante de uma bela mulher, homens agem como insetos cegos que buscam o calor de uma luz, batendo com a cabeça em lâmpadas e paredes vez após vez, até que caiam estatelados no chão frio dos rejeitados. (…)

Fato número 3: poucas coisas causam tantos estragos neste mundo quanto uma mulher que possui plena consciência de sua beleza. E que se torna tanto mais perigosa à medida em que se compraz com o seu poder de fascínio perante os homens. Porque bastam um belo par de pernas e um sorriso sugestivo para que toda a nossa racionalidade seja aniquilada em um piscar de olhos.

Trechos d’A eterna Arapuca, texto inteligente e instigante sobre os homens, escrito pelo Alexandre Inagaki. (Eu adoro diarices dos meninos!)

Helê
Atualização: Trilha sonora do post: Garotos, do Leoni (muito bem sacado pela sempre perspicaz Vera G.)

Ele vai


Esse aí ao lado, Major Marcos Pontes, é, digamos, meu herói pelos próximos meses. Menos pela nacionalidade que pela profissão: ele é o primeiro astronauta brasileiro a viajar pelo espaço. Isso deve provocar uma ampla cobertura jornalística, colocando em evidência um dos meus assuntos favoritos: viagem espacial (embora não goste muito de ficção científica, como gênero. Vá entender…).

Eu tento imaginar o que pode ser para uma pessoa estar no espaço sideral, ver a Terra como “nas tais fotografias/em que apareces inteira“… Tento, mas é em vão, não existe nada que possa se comparar a isso. Não sei se é verdade ou lenda urbana que os três primeiros que pisaram na lua voltaram meio gaga(rin) (Desculpem, não resisti!), mas o fato é que deve ser impossível passar por isso e voltar o mesmo. Ou não, como dizem o Caetano e mi Sócia. Mas que eu queria descobrir, ah, queria!…

Quem está certo mesmo é o sempre sensato e iluminado Herbert Vianna:

Tendo a lua aquela gravidade aonde o homem flutua
Merecia a visita não de militares,
mas de bailarinos
e de você e eu.

Helê

Comassim, Sócia?! Jogando contra a patrimônio? Nananinanão.
Vieram ao lugar certo, pessoas; fiquem à vontade, a casa é nossa.
G(r)atas pela preferência ;-D
Helê

Chegaram aqui buscando as mais gostosas do mundo.
Obrigada, pessoal; também não é pra tanto. 😉
-Monix-

2:43 PM

Dinheiro e felicidade

Frase do dia (estampada numa camiseta):
“Dinheiro não traz felicidade, mas ajuda a sofrer em paz.”

-Monix-

%d bloggers like this: