O que dá pra rir, dá pra amparar

Há algum tempo eu vi o ator americano Will Smith contar, em uma entrevista, qual foi a cantada mais desconcertante que recebeu: uma mulher o olhou bem dentro dos olhos e disse apenas: Anytime, anywhere, anyway. Eu adorei e guardei para falar quando encontrar o Denzel Washinton ou o Jude Law, ou qualquer outro improvável desses. 🙂

***
Hoje a mesma frase surgiu pra mim com um significado totalmente diferente e importante, e eu não achei nada mais adequado e sincero pra dizer a uma amiga muito querida, que passa por um momento dificílimo.
A qualquer hora, em qualquer lugar, de qualquer jeito, Dedéia: conte comigo; conte conosco.


Helê – e Monix também

Anúncios

Currículo

O Jogo do Currículo foi uma invenção da Marina W que ganhou a rede e de vez em quando volta à moda. Eu adoro. Já fiz três, inéditos e impublicáveis. Agora me empolguei de novo, mas desta vez em versão para as massas. Enjoy it.

Já voei de classe executiva (e foi duro voltar pra econômica)
Já andei de Trem de Prata, da Central à Estação da Luz
Já estive cara a cara com o Lombardi. E com o Silvio Santos.
Já assisti um desfile de escolas de samba, do início ao fim, ao lado do recuo da bateria, antes de o Setor 11 ser exclusivo dos gringos
Já fui ao Maracanã, e gostei, mas não pretendo voltar
Já vomitei no chuveiro (grávida)
Já tive preguiça de atravessar uma rua, em Roma (lá não tem sinal de trânsito e os carros são assassinos com vida própria)
Já atravessei a faixa em Abbey Road, que nem os Beatles
Já virei (várias) noites conversando
Já comi caviar, já bebi champanhe francês, e adorei ambos (claro!)
Já comi feijão com maionese (e quem nunca, que atire a primeira pedra)
Já fui a (várias) passeatas
Já sonhei em inglês e em francês
Já fiz mapa astral com 4 astrólogos diferentes
Já acreditei em mentiras sinceras
Já fui viciada em revistas femininas
Já fui viciada em TV
Já assisti uma gravação no antigo teatro Fênix
Já vendi colares fosforescentes num show na Praça da Apoteose (era a Withney Houston, o que a gente não faz por dinheiro quando se é estudante…)
Já votei mal

Nunca pintei o cabelo
Nunca fiz as sobrancelhas
Nunca comi jiló (e não gostei)
Nunca li O Senhor dos Anéis
Nunca assisti A Lagoa Azul
Nunca fui a um centro espírita
Nunca fui a Salvador (mas quero ir)
Nunca fiz pós-graduação
Não assisti ao vivo a queda do World Trade Center (estava em um teste psicológico admissional e quando saí, as torres já estavam no chão)
Nunca gostei de dar satisfação
Nunca fui fumante
Nunca gostei de uísque
Nunca aprendi a tocar violão direito (mas tentei)
Nunca aprendi a fazer crochê (também tentei)
Nunca usei o Skype
Nunca esquiei
Nunca voei de asa delta
Nunca aprendi a tabuada (ontem fui fazer um cheque e perguntei: 8X4=36, né? Hohohoho!)
Nunca vi disco-voador
Nunca fui boa em esportes
Nunca me conformei por não ter ido ao primeiro Rock in Rio

-Monix-

Mais uma do Google: ensinar meu filho a gostar de livros.
Dica das Fridas: leia na presença dele. E não vale revista Caras. Depois volta aqui e conta pra gente.

-Monix-

%d bloggers like this: