Recuperações surpreendentes

Recuperações surpreendentes

Fosse o título um troféu e Maradona teria conquistado a versão 2005 sem concorrência. Depois de aparições tão esporádicas quanto dramáticas, em que inflava e definhava a olhos vistos, editores mais precavidos já haviam rascunhado seu obituário. Parecia uma questão de (pouco) tempo receber a notícia de sua morte.

No entanto ele reapareceu muitos quilos mais magro, sorridente, aparentemente saudável, comandando um programa de TV de sucesso. Maradona não chega a ser um ídolo para mim, mas qualquer pessoa que entenda minimamente o que acontece num campo de futebol não deixa de sentir, pelo menos, uma ponta de reverência e admiração ao ouvir esse nome.

Mas o que eu gostaria de celebrar aqui não é sua já decantada genialidade no futebol, mas o excepcional drible que ele deu na morte iminente, a reviravolta na trama que parecia fadada a terminar em dramalhão latino. Maradona proporcionou a todos nós uma agradabilíssima surpresa ao demostrar a imensa capacidade de superação de que um ser humano é capaz.

A imprensa, sempre mais disposta a retratar a tragédia que a superação, noticiou a recuperação do ex-jogador com parcimônia, em comparação à cobertura feita nos anos de decadência do craque. Parece estar ainda a espera de um deslize ou recaída. Basta uma busca simples na internet para constatar que para cada 15 fotos de corpo inteiro Maradona obeso há um close dele hoje.

Pois eu quero aqui celebrar a volta por cima desse homem genial e genioso que, contrariando todas as expectativas, reescreveu sua história quando ela parecia ter-lhe escapado.

***
Outro que contrariou prognósticos é o mago Joãosinho Trinta, que permaneceu em coma durante mais de dois meses, vítima do segundo derrame. A notícia que li dizia que a criatividade do carnavalesco, mais uma vez, era o diferencial, pois partes de seu cérebro estavam assumindo funções novas.

Mangueirense que sou, sempre tive por Joãosinho Trinta a admiração e o respeito que se tem por um adversário poderoso. Além disso, admirava a paixão com que defendia suas idéias e convicções. Mas a partir de 2000 passei a nutrir por ele também uma gratidão profunda, por ter sido ele o responsável por uma das emoções mais genuínas que já senti, naquele que foi um carnaval inesquecível. Mas fica pra outro post – ou série, não é Sócia?

PS: Esse post foi rascunhado no final de 2005, e ficou meio que esquecido num caderno; foi resgatado há poucos dias. Comprovando minha crença de que coincidências não existem, o texto reapareceu logo agora, que eu tenho uma forte candidata pro troféu desse ano. 🙂
O táimin do post, às vezes, segue um tempo não-linear, mas não menos interessante…

Helê

Anúncios

Pérolas da internet

Mas o corpitcho do Maracujagger eu acho muito magrinho…
– Fernanda Fonseca, titular do saboroso Mais Canela, por favor

Esses feios que ficam bonitos quando cantam me lembraram de um show do Zeca Baleiro (adoro) em que uma moça mais entusiasmada na platéia gritou “LINDO !!” e ele respondeu, tranqüilo e na veia : “Que é isso, querida, são seus ouvidos…”
– Causo delicioso contado pela Cynthia (prefeita de CynCity) num dos quartos (nos comentários) que eu tive que contar aqui na sala de estar.

– A frase eu vi pela primeira no ObjetoAbjeto. Depois soube pelo Google que já é antiga, tem gif e tudo – mas eu achei sensacional e irresistível:

Helê

%d bloggers like this: