Adoro gírias. Afora o blablabla sobre o fato de as gírias manterem a língua viva e dinâmica e toda a baboseira teórica que queiram desenvolver, é muito gostoso usá-las. Eu uso gíria, direto, em todos os ambientes. Aprendo as novas, incorporo ao meu vocabulário de lavadeira (ops, escorregou um comentário politicamente incorreto), mas mantenho as antigas. O resultado é uma miscelânea que pode misturar na mesma seqüência de idéias termos tão dessincronizados quanto “manêro”, “sinistro”, “baboseira”, “cacilda”, “parada”, “falô” e “já é”.

Sou tão fanática que chego a sentir saudades de uma gíria específica, que usei mooooooito na minha adolescência e sumiu, nem eu mesma uso mais, porque perdeu totalmente o contexto. A palavra é: “chocante”!
(Mas tem que gostar muito de português pra sentir saudades de uma palavra, nénão?)

-Monix-

Anúncios
%d bloggers like this: