Não percam o lançamento do livro Um defeito de cor, da Ana Maria Gonçalves.

Ele, o livro, decidiu que eu seria a quinta ou sexta pessoa a lê-lo, depois de Gravatá, Millôr, Hélia, Andressa: e o mínimo que posso dizer é que quando devorei as 800 páginas do manuscrito original (que viraram 947 no volume da Record), não tive dúvidas que Um defeito de cor está no mesmo nível de Quarup, de Antonio Callado, Incidente em Antares, de Érico Veríssimo, Catatau, de Paulo Leminski, e Romance da Pedra do Reino, de Ariano Suassuna, todos eles um par de degraus abaixo do romanção-mor das nossas letras (o Sertão de Rosa): ou seja, Ana escreveu um dos cinco grandes romanções-cosmogonias da última metade de século na literatura brasileira, no mínimo.

A opinião é do Idelber, ou seja, é de respeito.
Se você mora no Rio, não deixe de ir. Além de ter a oportunidade de comprar o livro, você provavelmente irá encontrar toda a sociedade blogueira carioca. 😛

-Monix-

Bom finde!


Duas canções pra animar a sexta-feira: uma pra quem já tem um amante amado, outra para as gatas extraordinárias prontas pra cair na balada (e para os que almejam essas criaturas…)

Helê

%d bloggers like this: