Questionário/Fw

Peguei na Marina W.

Sonho de consumo: No momento, um carro novo, um palmtop e um notebook. Coisa pouca.
O que você gostaria de fazer antes de morrer? Muitas coisas, mas a lista oficial está aqui.
Qual seu ideal de felicidade? Reduzir minhas auto-expectativas, basicamente.
O que você considera sexy? Olhares que devoram.
Prato predileto: Comida. (hohoho)
Medo: De me sentir paralisada de novo.
Disco: Hoje? Cássia Eller, Veneno Antimonotonia, em MP3.
O que você pagaria para não fazer? Faxina. Pagaria, não: pago.
Que loja você gostaria de assaltar? Fala sério! Eu sou uma mulher honesta!:P
Jogo: Qualquer um que eu esteja ganhando.
O que você nunca comeria? Rã. Eca.
O que mais te atrai? A atração em si.
Como você gostaria de morrer? Bem, sobre isso já falei em outro questionário desse tipo: não sou tão control-freak a ponto de querer estabelecer como vou morrer. Morrerei, apenas.
O que você está lendo? A coleção do detetive Montalbano (do italiano Andrea Camilleri), que acabei de descobrir.
Como você se definiria? A Helê é que sabe: eu sou a outra.

-Monix-

Anúncios

O ciúme

Tudo começou no já (de)cantado em verso e prosa encontro da quinta-feira passada. O Alex Castro disse que não sente ciúmes. Todos riram, mas eu fiz uma pergunta movida por legítima curiosidade: “é verdade”?

***

Costumo dizer que não sou ciumenta, a não ser que me dêem motivo. O que, obviamente, é uma piada. Porque sem motivo é bem mais fácil não ter ciúmes. Pelo menos em termos – conheço muita gente que tem ciúmes imaginários. Uma amiga proibia o (ex) marido de usar perfume para ir trabalhar. E separava roupas que ele só podia usar para sair com ela. Há homens que agem de forma semelhante.
Não sei se é meu ascendente em Aquário, mas sempre fui muito independente e detesto dar satisfações da minha vida para quem quer que seja. Por conseguinte, também não as peço.
Mas já me deram motivo. E fui forçada a me confrontar com a “flecha preta” do ciúme. Não foi um espetáculo bonito, embora inevitável. Mesmo uma control-freak de carteirinha como eu sabe que os sentimentos estão lá. Como um rio que não pode ser transposto nem domado, diz o texto que a Vera indicou nos comentários.
O que importa é que, gostando ou não, aprendi que o que a gente sente é nosso e ninguém tasca. Não remo mais contra a correnteza, poupo esforços inúteis. Deixa o rio correr.

-Monix-

Da série I love my Inbox:

vc sabe, eu sou catolica. se me arrependo, tenho perdaaao
Não, nem que eu desse 15 chances, você nunca iam adivinhar a autora da frase. Ou iam?

-Monix-

Hangover blues

Ressaca é uma merda.
De manhã, passei creme para cabelos nas pernas, em vez do hidratante.
E olha que eu nem bebi tanto assim.

-Monix-

Nulo

Sou contra o voto nulo. Questão de princípios, para não dizer que acho bobagem mesmo. É um voto tão democrático quanto qualquer outro, mas tenho medo das pessoas que anulam. Elas não tem senso de humor.

Assinando embaixo,
Monix

%d bloggers like this: