Troca

CIDADE DO MÉXICO (Reuters), 28 de setembro – Auto-retratos do casal Frida Kahlo e Diego Rivera, os artistas mais famosos da história mexicana, vão aparecer nas notas de 500 pesos a partir de 2009, substituindo um general do século XIX, disse na quarta-feira um funcionário do Banco Central.

As efígies de Frida e Diego, que morreram na década de 1950, vão ficar em faces opostas da nota de 500 pesos, a segunda maior em circulação, que vale cerca de 45 dólares. Eles entram no lugar do general Ignacio Zaragoza, que derrotou uma força invasora francesa em 1862.

Taí: trocaram um general por dois artistas. Gostei desse Banco Central do México.

Só falta agora a NASA substituir os militares pelos bailarinos nas viagens à Lua. 😉

-Monix-

Anúncios

Gente, desculpa, mas não deu pra aparecer antes. Eu li tudo o que foi escrito aqui e alhures (ui!) nestes dois dias de festejos e felicitações, e gostaria sinceramente de responder a cada um, mas duvido que consiga. Então, ainda entoando o mantra da ressaca (depois de ter começado a noite passada na Gamboa e terminado na Lapa…) eu quero agradecer a todo munda. Pra quem deixou scrap no orkut, pra quem ligou, para os que sambaram comigo, os que escreveram e-mails, pra quem me beijou, pra quem sorriu e gargalhou, pra quem deixou comentários e pra quem ‘apenas’ (como se pouco fosse) pensou em mim com carinho desejando o bem…

Helê, agora em versão 3.7

PS: Na próxima semana, registros lá no nosso cafofo, o Chatô. Aguardem. Em breve num computador perto de você. 2:25 PM
Comments (4)


CIDADE DO MÉXICO (Reuters), 28 de setembro – Auto-retratos do casal Frida Kahlo e Diego Rivera, os artistas mais famosos da história mexicana, vão aparecer nas notas de 500 pesos a partir de 2009, substituindo um general do século XIX, disse na quarta-feira um funcionário do Banco Central.
As efígies de Frida e Diego, que morreram na década de 1950, vão ficar em faces opostas da nota de 500 pesos, a segunda maior em circulação, que vale cerca de 45 dólares. Eles entram no lugar do general Ignacio Zaragoza, que derrotou uma força invasora francesa em 1862.

Taí: trocaram um general por dois artistas. Gostei desse Banco Central do México.

Só falta agora a NASA substituir os militares pelos bailarinos nas viagens à Lua. 😉

-Monix-

Helena

Helena, minha sócia querida, com quem é tão fácil dividir tudo, seja este blogue, opiniões, angústias, dúvidas, certezas, alegrias e tristezas: desejo que seu dia seja alegre e cheio de emoções verdadeiras. E que o resto do seu ano astral lhe traga toda a felicidade que você merece.

E vocês, o que desejam para a Frida Helê no dia do seu aniversário? É hoje!!!

-Monix-

Por falar nisso…

Minha amiga Tânia enviou um artigo bastante útil nesta reta final de campanha. Fala sobre o que o autor chamou de campanha ”Vamos envenenar esse país”. Não é de nenhum petista aguerrido, nem de um militante histórico do movimento negro. Mas do Franklin Martins, um jornalista competente e atento:

Pretendia escrever a coluna de hoje sobre as discrepâncias entre as mais recentes pesquisas do Ibope e do Datafolha. Mas mudei de idéia ao ler matéria publicada no Estadão desta segunda-feira sob o título ”Rigor com a corrupção na política varia com região e condição social” e o subtítulo ”Eleitor do Nordeste expressa maior tolerância com desvios do que o do Sudeste”. (…)

Jogando com números de uma pesquisa do Ibope que não prova nada, a matéria tenta sustentar a tese de que os nordestinos, os pobres e os negros dão menor valor à questão ética do que os habitantes do ”Sul Maravilha”, os ricos e os pobres. (…)

Queira-se ou não, a idéia que se passa é de que, quanto mais escurinha for a cor da pele, maior será a frouxidão com valores éticos. (Leia o artigo completo no site do Franklin).

Ou seja: não surtindo efeito a estratégia de desqualificar o candidato, desqualifica-se o eleitorado. É tão raso e grosseiro, e tão alarmante que um jornal como esse escreva coisa como essa tão abertamente, com se dissesse uma verdade científica, que torna todas as teorias da conspiração mais verossímeis.

Helê

Acertos e erros

Ontem, numa conversa sobre política, escutei o seguinte comentário:

O Lula está na frente só porque o nível de renda dos mais pobres subiu. Se não fosse isso, já tinha caído.
Bem, essa é justamente a razão pela qual vou votar novamente no Sapo Barbudo. Porque se alguns acham que esse motivo é estranho, para mim é mais do que suficiente. É a primeira vez, em 18 anos como eleitora, que vejo isso acontecer. E tenho um certo orgulho de fazer parte do eleitorado do presidente que conseguiu fazer com que a classe média esteja dizendo frases como essa.
Gostaria que o PT parasse de dar mole pra mané, porque até para a capacidade humana de fazer merda deveria haver limites. Embora eu concorde com o Idelber: é óbvio que tem muita fumaça pra pouco fogo.
Mas minha decisão é clara: vou votar pela reeleição, apesar dos muitos erros e por causa dos inúmeros acertos. Concordo com as políticas que estão sendo implementadas, em diversas áreas: econômica, social, cultural. Não vejo por que votar diferentemente do que diz minha consciência. Não é um voto envergonhado, nem alienado. É um voto consciente.

-Monix-

Da série Veríssimo é meu pastor e nada me faltará

De todas as coisas chatas da vida, a única realmente inadiável, ao contrário de, por exemplo, visita ao dentista, é a velhice. Não gosto que me imponham coisas e a velhice é uma imposição, uma prepotência do tempo. Sou contra.

Luis Fernando Veríssimo, com a acuidade de sempre, n’ O Globo de hoje, sobre seu aniversário de 70 anos (dia 26 de setembro, um dia antes do meu).
Helê


Direto da Blue Bus:

Discurso de Chavez disparou venda do livro de Noam Chomsky
09:44 Alem de chamar o presidente Bush de ‘o diabo’ em seu discurso na ONU na 4a feira, o presidente venezuelano Hugo Chavez mostrou uma copia de ‘Hegemony or Survival – America’s Quest for Global Dominance’, de Noam Chomsky. Recomendou a leitura – “O povo nos EUA deveria ler isso… em lugar de assistir a filmes do Super Homem”. O gesto e as palavras causaram impacto. O livro, publicado originalmente em 2003, saltou para o 2o lugar na lista de bestsellers da Amazon (estava antes na posiçao numero 20,664) e para 3o na Barnes & Noble (ocupava anteriormente a 748a colocaçao no ranking). A editora mandou rodar mais 25 mil copias ;- ). Noticia da AP. 22/09

Buemba, buemba: o livro já está em primeiro lugar na lista da Amazon. E em sexto (devem ser edições diferentes). Notem o segundo lugar: “The Greatest Story Ever Sold: The Decline and Fall of Truth from 9/11 to Katrina”.
The revolution terá começado? O império está se corroendo? De baixo para cima? Esse mundo é uma ilusão? O que acontece?

-Monix-

%d bloggers like this: