Chove Chuva

Sábado, Outubro 21, 2006

Chove há uns dois ou três dias no Rio de Janeiro e vocês que não estão ou não são daqui não sabem o que isso significa. Em linha gerais, um trânsito sempre muito ruim e pessoas meio atarantadas, porque o carioca não é impermeável. Sim, a gente não gosta de dias nublados como cantou a gaúcha Adriana, mas é mais que isso, a gente não sabe conviver com chuva. Completa incapacidade. Carioca deixa de ir a lugares, por exemplo, por causa da chuva. Chega a ligar pra justificar: ”Pô, Fulano, foi mal não ir no teu aniversário, mas é que na hora de sair tava aquela chuva, né?” Eu fico imaginando uma cidade como Londres, por exemplo, (ou como me disseram que é Seattle) onde as pessoas não podem se dar a esse desfrute, ou ficariam imobilizadas para sempre. Aqui não, o cara sai de casa com chuva, encara o trajeto até o trabalho chovendo e quando sai ainda fica na portaria com aquela cara de besta, como se estivesse chovendo pela primeira vez em meses. Cena tipicamente carioca: na saída do metrô, todo mundo aglomerado, como guarda-chuva na mão, olhando pra chuva, como se fosse passar dali a 30 segundos. É assim, a gente não se acostuma, é como se houvesse alguma coisa errada naquele cenário.

Pensando nessas bobagens, reuni várias canções sobre a chuva ou nas quais ela desempenha papel importante. Parei em 50, entre nacionais e estrangeiras. Então sofri pra selecionar 10 que gosto muitíssimo; as outras ficam armazenadas para outros dias de toró intermitente. Não pude deixar de fora as ”Garotas do Tempo”, que cantaram uma das mais democráticas, generosas e esperadas chuvas da música pop, aquela que trazia homens ”for each and every woman”.

Ouça, e comente, enquanto o sol não reaparece. E bom finde, se for possível, com essa chuva…

Helê

Que vergonha!

Outubro 21, 2006



Olha, todo mundo já falou da manipulação da imprensa, antes e melhor que eu. E já há manifesto e abaixo-assinado contra o comportamento da imprensa nessas eleições. Mas mesmo assim, dá licença de usar o blogue pra falar da manchete do Globo de hoje, que é inacreditável. Diz o seguinte, sobre uma foto de Lula e Alquiminho no debate:Petista confirmou que Freud mandou comprar dossiê. Donde o apressado leitor, de passagem pela banca, deduz que ontem, no debate, Lula teria confirmado a tal compra. Então aquele um pouco menos apressado lê a matéria, ainda na primeira página: O petista Gedimar Passos reafirmou à Polícia Federal no dia 18 de setembro, três dias após ser preso com parte do R$1,7 milhão que seria usado para compra o dossiê contra os tucanos… O grifo é meu, gente, pra vocês não duvidarem do que eu custei a acreditar: o jornal reapresentou uma matéria de um mês atrás como se fosse nova, junto a uma foto de ontem, que lhe confere o sentido que o jornal que dar à notícia.
Cara, eu fiquei chocada. E envergonhada, juro. E com mêda do que vão aprontar até o dia 29 – que nunca custou tanto a chegar…

Helê

%d bloggers like this: