Dezembro 06, 2006

Afinal, quantas vezes você já leu, indignado, sobre um assassinato em Maria da Graça? Vila da Penha? Bangu? Mas, como na morte brutal da Gerdau, jornais e opinião pública demonstram aquele ar de “isso não pode continuar assim”.
Não, não pode. No entanto, seguirá assim enquanto estiver em vigor o pressuposto de que há pesos diferentes para um assassinato no Leblon – mais grave – do que a morte de um inocente no subúrbio.
Neste pressuposto reside a ilusão de que há refúgio seguro. Não há, ou pelo menos não haverá enquanto a segurança não for entendida não como privilégio, mas como direito de todos. No entanto, o que está em vigor é a lei do dane-se: azar se o sistema de segurança pública não funciona para ninguém, desde que se tenha dinheiro no banco para blindar o carro.

Carla Rodrigues, No Mínimo, com todo o meu apoio.

-Monix-

%d bloggers like this: