Divas do Século XX

Janeiro 06, 2007



Audrey Hepburn, Bélgica


Catherine Deneuve, França


Grace Kelly, Estados Unidos


Ingrid Bergman, Suécia


Marilyn Monroe, Estados Unidos

Anúncios

A Vida com Trilha Sonora

Janeiro 06, 2007



Mary chamou para a brincadeira, meses atrás (e eu não acho o permalink, então vocês vão ter que confiar apenas na minha combalida memória). A idéia parte de uma pergunta: se sua vida fosse um filme, qual seria a trilha sonora?
Há uma série de regras, mas basicamente a pessoa deve usar as músicas armazenadas em seu player (IPod, computador, o que for) em ordem alatória para montar o roteiro da sua biografia. Só que minha vida simplesmente não pode ser contada em modo shuffle – embora tenha trilha sonora, em todas as cenas. Por isso, tive que subverter um pouco a norma, mas tenho certeza que a Mary não vai se importar. 😉
Com apenas duas exceções, todas as músicas reunidas para esse “filme” foram o pano de fundo em tempo real para os acontecimentos que deram origem às cenas. Divirtam-se.

Prólogo (Anos 80)
Uma inadaqueção que se transforma em rebeldia. Não necessariamente sem causa.

“Toda forma de poder é uma forma de morrer por nada… toda forma de conduta se transforma numa luta armada… A história se repete, mas a força deixa a história mal contada.”
(Engenheiros do Havaí)

“Não é nossa culpa, nascemos já com uma bênção. Mas isso não é desculpa pela má distribuição. Com tanta riqueza por aí, onde é que está? Cadê sua fração? Até quando esperar a plebe ajoelhar esperando a ajuda de Deus?”
(Plebe Rude)

“Quando nascemos fomos programados a receber o que vocês nos empurraram com os enlatados de USA de nove às seis. Desde pequenos nós comemos lixo comercial e industrial, mas agora chegou nossa vez: vamos cuspir de volta o lixo em cima de vocês. Somos os filhos da ‘Revolução’, somos burgueses sem religião, somos o futuro da nação: geração Coca-Cola… Vamos fazer nosso dever de casa e aí então vocês vão ver suas crianças derrubando reis: fazer comédia no cinema com as suas leis.”
(Legião Urbana)

“Desde os primórdios até hoje em dia o homem ainda faz o que o macaco fazia. Eu não trabalhava, eu não sabia: o homem criava e também destruía! Homem primata, capitalismo selvagem.”
(Titãs)

Cena 1 (1985)
Todo mundo quer amor. Mas descobri cedo – meu jeito de amar é bem singular.

“Tire suas mãos de mim, eu não pertenço a você. Não é me dominado assim que você vai me entender. Eu posso estar sozinho mas eu sei muito bem aonde estou. Você pode até duvidar, acho que isso não é amor.”
(Legião Urbana)

Cena 2 (1986 a 1989)
Brincando de namorada, e descobrindo a descoberta – pela primeira vez.

“Agora eu era o rei, era bedel e era também juiz… e pela minha lei, a gente era obrigado a ser feliz. Não, não fuja não, finja que agora eu era o seu brinquedo, eu era o seu pião, ou seu bicho preferido.”
(Chico Buarque)

Cena 3 (1989 a 1993)
Na faculdade, os melhores amigos para sempre. E vocês sabem: aos amigos, tudo. Aos inimigos, a lei.

“E a gente vive junto, e a gente se dá bem… não desejamos mal a quase ninguém.” (Lulu Santos)

“So take the photographs, and still frames in your mind. Hang it on a shelf in good health and good time. Tattoos of memories and dead skin on trial: for what it’s worth it was worth all the while. It’s something unpredictable, but in the end it’s right. I hope you had the time of your life.”
(Green Day)

Cena 4 (1989 a 1995)
Sonhos de futuro. Enquanto o sempre for agora.

“Amor igual ao teu, eu nunca mais terei… Amor que eu nunca vi igual, que eu nunca mais verei.” (Cidade Negra)

“Não quero sugar todo o seu leite, nem quero você enfeite do meu ser. Apenas te peço que respeite o meu louco querer. Não vamos fuçar nossos defeitos, cravar sobre o peito as unhas do rancor… Lutemos, mas só pelo direito ao nosso estranho amor.”
(Caetano Veloso)

Cena 5 (1995)
Porque viver juntos se tornou melhor do que ficar separados.

“Temos que consertar o despertador e separar todas as ferramentas que a mudança grande chegou com o fogão e a geladeira e a televisão. Não precisamos dormir no chão – até que é bom, mas a cama chegou na terça. E na quinta chegou o som”
(Legião Urbana)

Cena 6 (1997 e 1998)
Renovando as promessas.

“Let’s stay together, loving you whether times are good or bad, happy or sad”
(Al Green)

Cena 7 (2001)
Vamos povoar o mundo com gente de bem.

“Mulher barriguda que vai ter menino… Qual o destino que ele vai ter? O que será ele quando crescer? Haverá guerra ainda? Tomara que não.”
(Secos e Molhados)

Cena 8 (2005)
Porque tem que ser infinito enquanto dure.

“As suas queixas tão justificáveis e a falta que eu fiz nessa semana: coisas que pareceriam óbvias até pra uma criança. Por onde andei enquanto você me procurava? Será que eu sei que você é mesmo tudo aquilo que me faltava?”
(Nando Reis)

Cena 9 (2006)
Para começar de novo, é preciso reencontrar quem já fui. E ainda lembro.

“Chorei, não procurei esconder – todos viram. Fingiram pena de mim: não precisava. Ali onde eu chorei, qualquer um chorava. Dar a volta por cima que eu dei? Quero ver quem dava.”
(Paulo Vanzolini)

Cena 10 (2006)
Um olhar diferente poderia fazer meu mundo virar de cabeça para baixo. O risco era eu gostar. Adivinhem se eu decidi corrê-lo?

“Mas tudo que acontece na vida tem um momento e um destino. Viver é uma arte, é um ofício, só que precisa cuidado para perceber que olhar só prá dentro é o maior desperdício. O amor pode estar do seu lado”
(Nando Reis)

“Your love is thick and it swallowed me whole. You’re so much braver than I gave you credit for, that’s not lip service. You’ve already won me over in spite of me, and don’t be alarmed if I fall head over feet.”
(Alanis Morissette)

A trilha sonora de verdade está no Chatô das Fridas, como sempre. Enjoy it.

-Monix-

%d bloggers like this: