Salve ela

Abril 04, 2007



Hoje é aniversário da Beth Salgueiro, pernambucana com sobrenome de escola de samba carioca, cidadã do mundo, dona da vitrola mais eclética e generosa da internet. Ela é, pra mim, quem mais se aproxima do conceito‘Nunca te vi, sempre te amei’, porque a gente (ainda) não se encontrou, mas não foi preciso pra que nos sentíssemos próximas, muitas vezes.
Parabéns pra Beth – de quem eu desconheço o rosto, mas com quem compartilho interesses, valores, sons e tons.
Saúde e sorte, sempre!
E Aquele Abraço.

Helê

Gil brasileiro

Quarta-feira, Abril 04, 2007

Gilberto Gil tem uma energia mansamente intensa. O elegante pioneiro da música brasileira e político gentil puxa o cabelo para trás num rabo de cavalo, mantendo discretamente os vestígios da rebeilião dos anos 60. Suas unhas longas e afiladas dedilham o ar enquanto ele fala. O ministro da Cultura brasileiro pode parecer um modelo de diplomacia. Mas por baixo da superfície Zen há um leão pós-colonial. (…)
“Este é o novo ingrediente cultural, esta é a novidade, isto é o que eu categorizo como poder suave, o poder que não está conquistando nada. Não está lá para conquistar, está lá para compartilhar. Este é o novo conceito de poder. Isto é hippie.”

Gente, eu acho um luxo ter um ministro da Cultura totalmente Nova Era, que é tema de uma reportagem como esta publicada no Miami Herald na sexta-feira passada. Sempre fui muito fã do Gil compositor, do Gil cantor, do Gil músico, do Gil que fala poesia em vez de prosa. Mas o Gil ministro, que poetizou até a política, esse é o campeão. Nesse mar de más notícias, tristezas e constragimentos, uma coisa dessas dá até um orgulhinho de ser brasileira (como ele).

-Monix-

%d bloggers like this: