E por falar em festa…

Maio 27, 2007

Hoje é dia de comemorar os três anos de Duas Fridas. Tudo começou com um post tímido e muito festejado pelas já-amigas digitais. Com o tempo, vieram muitas(os) mais. Manter um blog só tem sentido quando a gente sabe que é lida e que faz diferença na vida dos leitores, de alguma forma. Saber que vocês estão aí, do outro lado, todos os dias, é a razão de ser do Dufas. Continuem por aí, nós adoramos estar com vocês.

E pra fazer uma festa como deve ser, é claro que tem que ter celebração de verdade! Quem quiser saber como, quando e onde, escreva para nós. Mas não demorem, porque já começou a contagem regressiva para a Grande Festa das Fridas.

Quem se anima?

9:13 PM

27 maio 2007

Maio 25, 2007

Medo

Medo
Sentimento anterior ao ato de enfrentar ou fugir que acomete tanto covardes quanto corajosos.
Adriana Falcão em Pequeno dicionário de palavras ao vento

Esse livro é uma pequena e singular jóia, que me encantou tanto quando eu li que dei vários de presente. Deixo na estante sempre à mão, e outro dia quando fui emprestá-lo, folheei e pronto, comecei a reler. E fiquei com essa primorosa definição de medo ecoando na cabeça, a ponto de me inspirar nova lista musical: Elis desafiando o medo de amar – o mesmo da Calcanhoto; Belchior falando do medo de avião que, no fim das contas, resultou em boa coisa… Em outra canção ele enumera outros tantos, assim como o sempre certeiro Lenine.

E você, do que tem medo? De quais foge e qual encara?

Helê, que entre outras coisas, tem medo de não aprender a dirigir.

***

Ao que acrescento: a verdadeira coragem não é não ter medo. Coragem é conseguir enfrentar o medo; é ir em direção ao que se teme.

-Monix-

25 maio 2007

A pessoa é para o que nasce

25 maio 2007


como já ensinou aqui a minha sócia. Eu tiro essa onda de cool, moderninha encantada com o médico cínico, mas ontem eu chorei mesmo foi com a Abby e o Luka casando, no E.R.. Pronto, contei. Simone, aparece aqui nos comentários e me diz que eu não fui a única, vai! Você é minha esperança!

Helê

Hoje é dia de House

Maio 24, 2007

It’s a basic truth of the human condition that everybody lies. The only variable is about what. The weird thing about telling someone they’re dying is it tends to focus their priorities. You find out what matters to them. What they’re willing to die for. What they’re willing to lie for.

São textos como esse que me fazem ansiar pela quinta-feira e pelo House (tá, os olhos azuis também, Lontra). Gosto tanto que ele já foi citado, mais de uma vez, na terapia. E quem tem malucólogo sabe que isso é deferência ímpar – não é qualquer um que a gente leva pra terapia, né?

Helê, que também atende por Helôka

%d bloggers like this: