Quarta-feira, Novembro 28, 2007

Duas observações sobre o caso que vem chocando o país, ambas da Carla Rodrigues, que costuma ir direto ao ponto:

O que senti quando li pela primeira vez a notícia sobre a prisão da adolescente no Pará numa cela masculina: é só a ponta mais visível de um imenso problema que combina violência, discriminação, desprezo pelas mulheres, culpabilização da mulher pelos delitos dos quais foi vítima, e está inscrito num grande discurso hegemônico no qual o masculino equivale a tudo que tem valor e o feminino corresponde a tudo que é inferior.

O Globo de hoje traz com especial destaque o fato de que, em toda a linha de comando, as atrocidades cometidas contra a menina presa no Pará foram cometidas por mulheres. O tom de espanto ou indignação parte de uma premissa, que está oculta no texto: mulheres deveriam ser, “por natureza”, mais generosas, solidárias e humanas.

-Monix-

Anúncios
%d bloggers like this: