Atenção comunidade: agora é sério

Fevereiro 01, 2008



Evoé:
do Lat. evoe < Gr. euví
interj.,
grito, brado das bacantes em honra de Dionísio (Baco), por ocasião das orgias.

Então é isso mesmo que vocês entenderam. Bom descanso pra quem é de descanso, boa esbórnia pra quem é de gandaia, e se perguntarem por mim diz que eu fui por aí, porque é hoje que eu só volto amanhã!!!

Evoé!!!

Helê, entregue à Momo de peruca rosa e leque idem!

Anúncios

Onde você estava e o que estava fazendo?

Fevereiro 01, 2008

Eu vi na Meg e procrastinei (procrastinação, seu nome é Frida!). Aí vi de novo na Dani K e resolvi botar a mão na massa, porque a brincadeira é divertida. É um meme, portanto quem quiser pegar, sirva-se. 🙂

Há 35 anos?
Fevereiro de 1973. Quase 3 anos de idade. Provavelmente estava brincando no corredor do prédio, lambendo a calçada, brincando com a minha irmãzinha de 1 ano e meio e abrindo o berreiro na hora de ir para a escola.

30 anos?
Fevereiro de 1978. Quase 8 anos. Lia o dia inteiro, brincava pouco. Fingia que ajudava minha mãe a cuidar do meu irmãozinho de seis meses, que nasceu prematuro e deu um trabalho danado.

25 anos?
Fevereiro de 1983. Quase 13 anos. Essa época é um branco na minha memória. Não lembro de quase nada. Devo ter passado as férias lendo, também. Não fui uma criança muito divertida.

20 anos?
Fevereiro de 1988. Quase 18 anos. Tinha um namorado “firme” há uns dois anos, ia começar o terceiro ano (tomei bomba e com isso atrasei o vestibular), pensava em estudar Direito mas acabei decidindo pela Comunicação. Nessa época eu já era bem divertida – ou, pelo menos, eu me divertia, não sei quantos aos outros. 😛

15 anos?
Fevereiro de 1993. Quase 23 anos. O ano da minha formatura, estava escrevendo a monografia, estagiando com a minha tia e pensando no que fazer da vida: casar ou comprar uma bicicleta?

10 anos?
Fevereiro de 1998. Quase 28 anos. Trabalhava na TV Manchete, a perfeita tradução da expressão “a gente ganha pouco, mas se diverte”. Pensava em ter um filho: tentava ter um filho. Tinha acabado de voltar de Nova York, minha primeira viagem internacional. Me deslumbrei com o tamanho do mundo.

5 anos?
Fevereiro de 2003. Quase 33 anos. Cuidava do meu bebê de seis meses. Fazia shantala. Amamentava. Tinha acabado de desistir de um emprego chato que pagava pouco, e que não valia o sacrifício de interromper a licença-maternidade. Recebi outra proposta profissional e estou aqui até hoje.

1 ano?
Fevereiro de 2007. Quase 37 anos. Amando novamente. Cuidando da criança. Vivendo a vida, com todos os seus riscos e venturas.

-Monix-

%d bloggers like this: