Mudamos – e deixamos o endereço!

Mudar, em suma, me incomoda, não tanto pelo medo do novo (que eu decerto sinto) mas também porque detesto deixar para trás as coisas que me são caras e sei não poderei recuperar; a cada vez que abro uma porta da esperança, o faço sabendo que inúmeras outras serão fechadas (e, afinal, eu posso estar trocando um jogo estofado da Tamakavy por um reles Brasilino).

Filthy McNasty

Todos nós que estamos entre os inta e os enta e assistimos ao Silvio Santos na infância – mesmo que de soslaio, na casa da tia – temos esse trauma do siiiiiiim/nããããããããão de que fala o Tio Fil. Porque no fundo, no fundo, mesmo de olhos e ouvidos abertos, a gente sempre está perdendo alguma coisa quando muda, essa é a verdade. E muitas vezes a perda só aparece depois que a mudança não pode ser desfeita.

Cientes disso, e apesar disso, nós resolvemos mudar. Primeiro de roupa, digamos assim. Então deu-se o efeito Jaque: já que vai mudar o templeite, mudemos também de endereço.

A mudança de templeite não carece de maiores explicações. Amamos nossa primeira cara, que a Giu preparou com tanto carinho. Foi com ela que armamos nossa barraca na feira da blogosfera. Mas chega uma hora que a gente cansa e mudar torna-se imperativo. Para isso, convocamos a talentosíssima Sil Falqueto, que reinventou as Duas Fridas nas belas ilustrações feitas especialmente para o blogue, misturando elementos do Rio de Janeiro e da Cidade do México numa composição extremamente criativa. As ilustras da Sil viraram templeite graças ao esforço do Carlos Valério, que não tem nada a ver com aquele esquema-do-mal que vocês estão pensando (aquele é o Marcos). O esquema dele é a amizade pura e simples.

Já a mudança de endereço dá-se basicamente por razões técnicas: o serviço gratuito do blogger nós dá pão e água e olhe lá, e não dá nem pra reclamar, porque se confunde gratuidade com favor – não tá pagando e ainda quer reclamar?! Além disso, os blogues com final blogger.br não são indexados pelos leitores de RSS – se você não sabe o que é, deixa pra lá; mas se você aí usa, sabe que é uma mão na roda, e isso nos exclui da ronda diária de leituras de pessoas que já aderiram a essa ferramenta.

Então aceitamos o risco e estamos dizendo “siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim”. Nossa casa virtual agora fica no wordpress. Porque, como em toda mudança, esperamos o melhor do novo que vem à nossa frente: serviço eficiente, design bacana e, o mais importante, manter vocês, nossos leitores. Essa é a única mudança que não estamos dispostas a aceitar: perder um leitor que seja, fiel ou avulso, anônimo ou habituê. Nós só vamos mudar porque acreditamos que vocês se mudarão conosco, senão não vale a pena. Então é isso. Soltamos o trapézio e estamos no ar, esperamos as mãos de vocês no outro lado.

As Duas Fridas

%d bloggers like this: