Qual o assunto que mais lhe interessa?

Ainda no terreno da música, mas agora falando de canções mais atuais: baixei o último cd da Elba Ramalho. Como não está entre os artistas que eu compro sem olhar – são poucos, na verdade – não quis arriscar.  Além disso a minha religião não permite comprar cd por mais de 20 paus, a não ser pra dar de presente. E então lá fui eu fazer pesquisa, que é uma das funções do download considerado ilegal.

Bom, mas se a Elba não figura entre os favoritos, porque o interesse? O título, mais uma vez, me arrebatou. “Qual o assunto mais lhe interessa?”, verso retirado da canção “Tempos quase modernos”, de Roberto Mendes e Capinam, é uma pergunta muitíssimo apropriada nesses dias em que vivemos bombardeados por informação. Um título instigante para um cd, moderno demais pra Elba, ou pra uma certa imagem que temos dela –  por isso mesmo bacana. E eu gostei bastante, viu, capaz até de comprar quando tiver um preço justo. Elba gravou com Pedro Luís, Gabriel o Pensador e também um samba antigo da Clara Nunes e uma toada de Elomar, “Novena”, além do mestre Lenine. Um ecletismo que foi meio modinha na MPB, mas um ouvinte mais atento já poderia ter percebido na Elba, que talvez só agora tenha podido explorar como quis. Sim, porque o disco é lançado por selo dela, sem uma grande gravadora por trás – informação que explica em muito este trabalho original e em certa medida, ousado.

Eu acho que a implosão desse esquemão das gravadoras só tende a ser boa pra artistas e público – pelo menos até que as empresas se reorganizem, porque o capitalismo não brinca em serviço, logo logo se apropria dessas novas ferramentas. Enquanto isso, acho que todo mundo vai se dar bem, ou pelo menos melhor que antes. Testando pra ver se é bom, experimentando pra ver se gosta, artistas e público, surpreendendo-se, estabelecendo novas relações. Isso muito me interessa.

No site da Elba você pode ouvir essa e outras canções do disco.

Helê

Anúncios
%d bloggers like this: