O segredo do sucesso

Uma amiga perguntou, para um grupo de outras amigas, “qual o segredo do sucesso de um casamento?”
Depende, né. Do que você considera sucesso, é claro.
Eu acho que um casamento (ou qualquer relacionamento) é bem sucedido enquanto funciona para os dois. Quando a gente se relaciona com alguém por muito tempo, sendo casados ou não, acaba assumindo “papéis”.

(Por exemplo: a mulher que faz tudo, que ocupa todos os espaços, que resolve todos os pepinos + o marido acomodado, que quer tudo a tempo e a hora, que não se coça e ainda reclama. OU: a dondoca que só quer saber de compras, que não lava um copo porque a empregada tá aí pra isso, que passa o dia no salão e no xópim + o marido provedor, durão, que adora ter uma mulher linda e fútil para exibir por aí. São estereótipos, é claro, mas o fato é que a gente vai assumindo um papel, com o tempo, seja ele qual for.)

Quanto mais o tempo passa, mais arraigados vão ficando esses “padrões” do relacionamento, e mais difícil é romper com eles.

Para mim, o “segredo do sucesso” (se é que existe isso) é a gente perceber que não quer mais ficar presa naquele estereótipo – que, não se engane, a gente mesma ajudou a criar e colaborou imensamente para reforçar – e tentar sair dele de uma maneira “negociada”, dentro do possível. Aí é que entra a verdadeira dureza da vida a dois, porque negociar mudanças, ainda mais quanto a relação está muito consolidada, não é nada fácil. Mas às vezes dá certo. É claro que, no processo, haverá perdas e danos, porque, como diz o ditado, não dá pra fazer a omelete sem quebrar os ovos. Mas muitos casais que eu conheço passaram por processos como esse e se reinventaram. É um trabalho constante, mas, mesmo assim, possível.

Em outros casos, a mudança transforma aquele par num não-par. Como se costuma dizer: cada um mudou para um lado, e aí só resta o desencontro. Nesse caso, a saída mais honrosa, na minha opinião, é se dar conta disso e perceber que foi bom enquanto durou.

Às vezes ficamos tomados pelo momento e não enxergamos que a mudança irá provocar resultados lá na frente, e que, bons ou ruins, vamos conseguir lidar com eles e transformar o que quer que aconteça em parte da nossa história.

Monix, em momento Não Dois, Não Um

Tecnologia é quase mágica (ou mais)

Tem um joguinho online irritantemente viciante chamado Guess The Name que vai fazendo perguntas sobre filmes ou programas de TV (americanos, por supuesto) e na grande maioria das vezes acerta na mosca. Até que dá pra entender mais ou menos como é que a coisa pode funcionar, mas, fala sério: quem vai dizer que isso não é mágica? Pra mim, é.

-Monix-

%d bloggers like this: