Dom Diego cumple años!

É segunda-feira, é dia do soldado, mas ainda resta uma razão pra sorrir: hoje é aniversário do Luciano, ora bolas!

Então, pra celebrar, um instantâneo de felicidade – dá pra sacar o cenário, néam? Praia, cerveja, férias, filho feliz, aquela vida que a gente pede a Deus e o Danado faz que não ouve? Pois é, Amor, que vc tenha muitos momentos como esse!

E vcs apreveitem a caixa de comentários para os parabéns e felicitações que ele mereçe.

Frida Helê

Faro pra naftalina 2, a missão

Sim, eu tenho faro pra música velha, já conclui. Sou, afinal, uma pessoa do século passado, não há como negar. Eu juro que não procuro, e às vezes acontece realmente sem querer. Uma dessas vezes eu contei no endereço antigo, quando descobri Blind Faith e ‘Can’t find my way home‘. Agora aconteceu de novo: eu estava revendo Prime – conhecido aqui pelo ridículo título de ‘Terapia do amor‘ – e reparei na canção  da cena final. Só desta vez botei reparo na letra sobre a impossibilidade da relação apesar do amor,  dolorida e generosa, de alguém que mesmo ‘with a broken heart‘ deseja o melhor para o outro, deixando-o livre. Lindo, lindo, uma melodia igualmente tocante.  Aí vim pra rede: google daqui, wiki dali, um youtube de lá e descubro que aquela  voz mansa é de uma cantora de 20 poucos anos, Rachel Yamagata. Mas a música, I wish you love,  foi gravada a primeira vez em 1957, e é a versão de uma canção francesa, Que reste-t-il de nos amours?, gravada em 1942 – que aliás, tem uma belissíma versão na voz do João Gilberto.

Agora me diz, tenho ou não tenho faro pra música antiga? (Mesmo sabendo que nada mais atemporal que música, e que o que é bom sempre volta).

I Wish you Love – Rachael Yamagata

Helê

%d bloggers like this: