I Love My Inbox/Outbox

Renata disse:

gente, que sol maravilhoso. boa sexta pra vcs.

 

Ana Paula disse:

Sol às 11 hs da manhã, na hora que vc escreveu, né?

O tempo já virou por aí também? Aqui o vento tá um açoite e o céu já tá pretinho!

 

Monix disse:

nuvens negras se aproximam. o horizonte está sombrio. acho que o mundo vai acabar. foi bom conhecer vocês. ade

Anúncios

Grandes cenas musicais em filmes não-musicais

A idéia é do Rosebund é o trenó, que a gente gostou e copiou:

Mark Rufallo dançando Thriller em “De repente 30”. Eu me apaixonei pelo Rufallo neste filme para sempre. Sim, é mais uma comédia romântica bobinha  – ó redundânica! – mas talvez por isso mesmo um excelente comfort movie.

– O Casamento do meu melhor amigo: a cena em que o amigo gay da Julia Robert canta “I say a little prayer“. Memorável, impagável e adorável, como deve ser boa cena musical.

– A cena do teclado já um um clássico pop, com Tom Hanks ainda garoto dançando com Robert Loggia em Quero ser grande.

– Curtindo a vida adoidado: quem tem maisde 30 anos não consegue deixar de fora a cena de Ferris Bueller dançando “Twist and shout” na rua naquela que á mais espetacular matada de aula da história da adolescência ocidental, hahahaha.

– Pra ser muito sincera, eu lembro vagamente da cena, mas a canção não deixa a Rádio Cabeça desde que vi “A cor púrpura”: chama-se Miss Celie’s Blues.

– Simplesmente amor: eu considero a canção, All you need is love,  um daqueles clássicos dos clássicos. Não podia ser diferente nessa cena de casamento de um filme que é uma saborosa colcha de retalhos, também confortável e acolhedor.

– Ao invés de citar a cena em que Marty McFly toca Johnny B. Good em DE VOLTA PARA O FUTURO – que eu adoro mas o Rosebud já lembrou – , vou escolher a apresentação da turma em “Escola de rock“, do sensacional Jack Black. O que pensando bem, pode ser uma evolução daquela cena, quarenta anos depois, não?

Helê

%d bloggers like this: