Banquete russo

O Dia dos Namorados já passou faz um tempinho, né? Mas eu queria escrever com calma e por isso segui meu lema de sempre: antes tarde do que mais tarde. 😉

Este ano, escapamos do troféu Casal Tupi-Guarani 2009 comemorando a data com um almoço em Teresópolis. O restaurante Dona Irene, especializado na culinária russa da época dos czares, oferece um verdadeiro banquete, com direito a entradinhas frias, depois bolinhos quentes com a famosa sopa borsch (à base de beterrabas), mais uns petiscos quentes, e finalmente o prato principal.

entradas russas

 

 

 

Foto daqui.

As entradinhas são um ótimo começo, e o segredo é o equilíbrio nos sabores: há desde o arenque defumado, de gosto forte, até os suaves canapés de pepinos, passando por patês, conservas, maioneses e ovos cozidos.

Os petiscos quentes são muito bem temperados, e as frituras, crocantes e sequinhas, na medida certa. A sopa combina bem com o clima da região serrana do Rio – que, se no verão é agradável, no inverno permite aos cariocas enregelados, como eu, tirar os casacos pesados do armário para dar sua voltinha anual.

O prato principal deve ser escolhido no ato da reserva (e o restaurante só aceita clientes com reserva). Tente fugir à tentação de pedir os óbvios estrogonofe e frango à Kiev – embora digam que o estrogonofe de lá é o melhor de todos etc e tal, e eu acredito que seja. Mas se é para cair de cabeça numa experiência russa, eu acho que vale a pena aproveitar para provar pratos diferentes. Deixe para comer o estrogonofe na Polonesa  e conheça delícias típicas como o varênique, da Ucrânia (“pequenos pastéis recheados de batatas e ervas, acompanhados de escalopinhos de filé mignon grelhados e cebolinhas empanadas”), ou o podjarka (“escalopinhos de filé mignon, escalopinhos de frango, champignons, molho de ervas, batata noisette, flambados na hora de servir”). Sim, você leu direito, este último leva carne e frango, assim, juntinhos.

Depois dessa orgia gastronômica, o freguês ainda tem direito a uma sobremesinha. Quem não for dirigir pode degustar a vodca da casa, que, dizem, é ótima. Eu preferi me poupar de problemas com as autoridades e fiquei na água sem gás.

É comida pra mais de uma semana. Mas dá para comer em duas ou três horas e reservar o resto do tempo para um belo passeio na serra. 🙂

-Monix-

Anúncios

10 Respostas

  1. Eu ía nesse restaurante quando era criança. Fico feliz que ainda exista!

    Gostar

  2. […] Irene – Também já escrevi sobre essa experiência gastronômica, mas as delícias russas não podiam ficar fora dessa […]

    Gostar

  3. eu digo NUNCA fui, é claro… 🙂

    Gostar

  4. e eu conheço várias coisas da culinária russa, é claro, e NUCA fui nesse restaurante, vê se pode… Meus bisavós eram até amigos da Dona Irene! Tudo bem, quando eu parar de ser vigiada pelo vigilantes está na minha lista!

    Gostar

  5. Que delícia de post, Monix! Não conheço quase nada de culinária russa (só o óbvio), fiquei curiosíssima.

    Gostar

  6. Tenho apto em Tersópolis, vou lá desde a infância e não conheço este restaurante, como posso ser tão IDIOTA?
    Onde fica esse restaurante que me deixou com água na boca?
    Bjs.

    Fica na rua da rodoviária, só que mais adiante. Chama-se Dona Irene, o site é o http://www.donairene.com.br. Dá uma olhada, lá tem todas as informações. Bjs, Monix

    Gostar

  7. Pronto, agora as visitas vão bombar, Sócia, porque comida traz muita gente pra cá, já reparou? (Comida e bunda, que coisa, heim?)
    Fiquei com água na boca com a vodca – até que não dirigir tem lá suas vantagens. Mas me deu mesmo foi uma enorme saudade de Petrópolis, onde eu fui muitas vezes na minha infância e de onde tenho boas recordações. Obrigada por recuperar essa trapo colorido do porão da minha história. Ah, posso sugerir trilha sonora? Pagode russo, claro, na voz de Lenine.
    Helê

    Gostar

  8. Não apetece o paladar do meu patrão é exatamente o que eu também diria. Mas olha que eu acho que, pela descrição, esse podjarka ele até encarava. Deu água na boca!

    Eu tenho certeza que seu patrão ia gostar. Talvez não muito das entradinhas e com certeza ele pularia o brosch, mas os pratos quentes são totalmente a praia dele. Bjs, Monix

    Gostar

  9. Sou louca para ir nesse restaurante.. Tive várias oportunidades passadas, mas acabou não rolando.
    Agora, não apetece o paladar do meu patrão…

    Me resta viajar na experiência das amigans… =P

    Bjs

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: