Tijuca Rules! (E o Lulu também)

Lulu Santos no Tijuca Tênis Clube. Não, não tem décadas, foi sábado passado. Eu, a Vaca e Cláudio, o Elegante (favor não confundir com Cláudio, o Príncipe; títulos e alcunhas são coisas seríssimas neste blogue). A brincadeira era que faríamos um trabalho de campo para descobrir afinal qual seria o público do Lulu: garotada malhação ou tiazinhas (como nosostras, é preciso admitir)? Bom, algumas cervas consumidas na concentração nos fizeram perder um pouco do rigor científico, digamos assim, e nós cantamos e dançamos bem mais do que recomendaria o CNPQ. Mas percebemos que o público era o mais variado possível, mulekes e tiazonas com a cabeça completamente branca, todo mundo muito amarradão, naquela energia que só produzem os shows de estádio. O som e o conforto podem ser questionáveis, mas a animação? Imbatível. Muito interessante esse evento justo agora: bem no meio da viagem retrô aos shows do passado me aparece o Rei do Pop pra cantar vários hits que fizeram e fazem parte da minha trilha sonora. Sim, passou um filminho na cabeça, desde os Tempos modernos até a minha filha me pedindo pra ouvir o Lulu Santo cantando a “a música do se afogá” (Vale de lágrimas) . E valeu por ouvir de uma nova maneira que nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia.

Não tenho o canhoto do show, mas ele ficará guardado, com certeza.

Helê

Anúncios

Duas bobagens e uma fofurice

– Como diz meu amigo Marcelo, é muita gente sem ter o que fazer. Inventaram um alucinante Tetris baseado no Twitter. Você pode usar os tweets de seus contatos ou buscar postagens aleatórias. Não precisa nem ser tuiteiro, basta gostar de Tetris. 😛

– Outros, em vez de perder o próprio tempo, inventam recursos para otimizar o tempo das pessoas. O RunPee é um site criado para ser acessado dentro do cinema, durante o filme, por aqueles que não aguentam esperar duas horas para dar aquela corridinha ao banheiro. O site cataloga os filmes em cartaz e marca os momentos em que você pode sair sem perder muita coisa. E o mais inacreditável: ainda te conta o que aconteceu no período em que você se ausentou! Confira o exemplo de Uma Noite no Museu 2. (Se bem que nesse caso específico dá pra ir ao banheiro a qualquer momento que não se perde nada.)

***

– O que acontece com os dentes que leite que a gente põe debaixo do travesseiro? Não seria fofo se eles voltassem um dia?

bathtime_15

 

 

 

-Monix-

Ainda o diploma

Eu precisaria de muito mais tempo do que eu tenho pra ler todos os links do Idelber e demais textos sérios e profundos sobre a questão do diploma. Mas eu não tenho, então me deem licença pra me manter no terreno da inconsistência. Mas, bolas, se o Supremo se ampara em argumentos tão bestas, pra dizer o mínimo, porque heuza, heuzinha tenho que ser consequente? Só consigo pensar abobrinhas do tipo: será que tatuador vai precisar de diploma? E designer de sobrancelha (profissão que eu descobri que existe no Globo de domingo) ? Porque, vamocombiná, tanto um quanto outro apresentam ameaça à vida alheia, vai dizer que não?

Helê

%d bloggers like this: