Porque eu não amo a Madonna

Mesmo correndo o risco de desagradar a muitos, a começar por mi sócia,  tenho que admitir que fico incomodada quando colocam ombro a ombro a Madonna e o Michael Jackson – mesmo reconhecendo que eles estão no panteão do pop, da cultura de massas do últimos 25 anos, eticéteretal. Consigo perceber que Madonna quebrou vários padrões, que tem um papel emblemático para as mulheres – sobretudo pela capacidade de se auto-gerir: os homens em sua carreira sempre tiveram um papel menor; she’s the boss. E isso é realmente revolucionário no universo do show business, repleto de maridos e empresários manipuladores.

Agora, todos os outros aspectos da carreira da Madonna me provocam bocejo loooongo… As supostas polêmicas, todas, parecem tão milimetricamente planejadas…bocejo duplo carpado.  Nesse último ano então, depois completou 50 anos, todas as mil vezes que ela aparece cantando de collant (ô coisa brega!) parece um pretexto pra dizer “olha só como eu sou fodona e gostosa com 50 anos!”. E mais nada. E pra mim o maior problema da Madonna é fazer da música pretexto para alguma outra coisa, não  um fim em si.  Retire o cenário, o figurino, os bailarinos e o que sobra? Um popzinho sofrível, apenas. Porque trata-se de música feita para ser vista –  no show, no clipe, no DVD – e não ouvida simplesmente.

Claro que não foi a Madonna quem inventou isso, mas ela elevou isso à uma nova potência, estabelecendo esse padrão atual de artistas que cantam com as coxas, o abdômen e os peitos  junto com as cordas vocais: Mariah, Beyoncé, Britney, Cristina Aguilera. Todas se igualam não em talento (ou na falta de) mas em estética:  cansei de começar a ver um clipe de uma pra descobrir que era de outra, porque as poses, o carão pra câmera, a cabelada, os corpos saradérrimos, é tudo muito semelhante e tudo herdado de vovó Madonna. Uma herança dos infernos. E chaaaaata…

Então eu respeito a Madonna como mulher, como feminista, enterteiner e até como, vá lá, artista. Mas jamais como cantora. E sendo a matéria prima dela a música (pelo menos deveria ser), eu me sinto sempre um pouco ludibriada por ela. E francamente incomodada, como ficava a sua vó,  de colocá-la ao lado de um artista do talento do Michael. Mas como diz o filósofo grego, gosto é igual bunda: cada um tem a sua.

Helê

Anúncios

13 Respostas

  1. Eu quem fico incomodado de comparar ma artista tao inovadora e talentosa com um artista monotono e com poucos albuns bons. Vai me dizer que escuta o Unnbreakeble sem pular? Um artista mmonosilabico com vergonha de expressar sua sexualidade. Vai me dizer que nunca desconfiou? A Whitney entao, que mediocre. A mulher so sabe fazer aquilo. E sobre o popo da minha diva…a idade dela…voce tambem vai envelhecer querida, vai passar por isso.

    Gostar

  2. …E pouco mais q 16 anos depois do seu texto sem base alguma, ela Reina lotando casas de espetáculo q, sempre foi a intenção! Madonna nunca se assumiu cantora relevante pra início d debate, oq poderia finalizar seu argumento aqui. Mas continuando…Para vc q pelo visto n conhece absolutamente nada da artista, Madonna era bailarina e a dança foi seu objetivo inicial. Porém, quando produtores descobrem um mega potencial q pod mudar conceitos, padrões e inovação, pq n?! O fato d Madonna, hj beirando os 60 ainda usar corpetes (Cá pra nós, ela PODE!) te incomodar, me faz lembrar uma amiga q tem menos da metade da idade dela e o corpo sedentário d uma mulher com o dobro, e ela tbm detesta Madonna. Resumo: Quando vejo alguém criticar Qualquer cantora q seja, sem o mínimo d informações, sem focar no gosto musical, shows e afins, só me vem a cabeça uma definição…Complexo d inferioridade. God Save The Queen!

    Gostar

  3. Eu ia até rebater com argumentos bem elaborados mas quando vi “10 comentários”, pensei: Não se chuta cachorro morto. Mas falar que Madonna criava as polêmicas milimetricamente e achar que o Michael não, é de uma ingenuidade sem tamanho. No frigir dos ovos, os grandes Michael Jackson e prince estão debaixo da terra enquanto Madonna continua reinando.

    Gostar

  4. Agora estamos em 2015,mais mesmo assim,não resisto em comentar.Madonna não é nem brega,nem muito menos cafona nem ainda menos uma má cantora.Quem de vocês já ouviu Sooner Or Later?Uma canção de 1990 da trilha sonora chamada I’m Breathless,e é apenas um,dos grandes exemplos de que sim,ela é uma ótima cantora e tem talento.Michael sempre foi muito dentro dos padrões,e as polêmicas de Madonna,ao contrário do que você pensa,não é planejada,ela simplesmente mostra a bunda,e depois que todos comentam,ela fala algo importante,pois ao invés de um blog inútil como este,ela faz algo descente,luta pelo feminismo,Gays,contra o racismo,homofobia,e ela não tem culpa de ter 50 anos e ser Gostosa sim,ela não vai deixar de usar suas roupas por causa disso,Aliás apenas as apresentações de Living For Love detonam nos vocais,ao contrário de Mariah, que teve a voz danificada e usa apenas Playback,Madonna teve a voz melhorada ao longo dos anos,ela não precisa ficar gritando igual a Beyoncé, (que também usa Playback),apesar de já mostrar que sabe gritar,para mostrar que tem talento,como cantora,atriz e dançarina,a Eterna Rainha do Pop superior a todas e a todos,vão pesquisar mais sobre ela e ficaram pasmos como a vida de vocês é um puro lixo 😉

    Gostar

  5. Nada a ver! Tirando das próprias palavras do irmão da Madonna, Christopher Ciccone: Madonna não é uma cantora, e sim uma “performer”. Ela soube conduzir sua carreira como ninguém. Cita ai alguma ano em que ela não tenha feito sucesso? Quando o público e principalmente a crítica a destruíam e diziam que ela não tinha mais chances de fazer sucesso, tinha passado do limite do aceitável, el sempre dava a volta por cima. Sempre foi assim, como no lançamento do livro Sex e do álbum Erotica, que veio com a inimaginável The Girlie Show, e depois com o American Life com a bombástica Re-Invention Tour. Equiparo Michael à Madonna quanto a criatividade das músicas e como assim as músicas dela são pra ver e não ouvir? Já experimentou ter a sensação de ouvir Live To Tell, Spanish Eyes, Cherish, Vogue, I’ll remember, You’ll See, Take a Bow, Sky Fits Heaven e inúmeras outras que poderiam ser citadas aqui? O diferencial de Madonna é que ela faz sucesso com sua ousadia em tentar fazer o que ainda não foi feito sem saber no que vai dar, coisa que nem Michael conseguiu fazer. Realmente a voz dela não é de uma Whitney Houston ou de uma Celine Dion, menos um pouco de uma Mariah, ma a voz dela só melhora com o tempo, pois haja esforço, os resultados são True Blue depois de Like a Virgin e MADONNA, o Like a prayer, o Erotica e acentuando mais o Ray Of Light até o MDNA onde em Falling Free ela chega ao ápice da naturalidade. Diferente dos outros pop, o da Madonna tem causa e principalmente alma, e como você deve saber, hoje em dia no nosso mundo a beleza e jovialidade é tudo. Que tem tá eleito, quem perdeu sai de cena, e ai que entra o esforço notável de a própria Madonna estar como está hoje: Linda e causando inveja aos 54 anos de idade.
    E críticas, Madonna é alvo o tempo inteiro! Quanto a isso ela já foi tocada pela primeira vez…

    Gostar

  6. “Nesse último ano então, depois completou 50 anos, todas as mil vezes que ela aparece cantando de collant (ô coisa brega!) parece um pretexto pra dizer “olha só como eu sou fodona e gostosa com 50 anos!”. E mais nada. E pra mim o maior problema da Madonna é fazer da música pretexto para alguma outra coisa, não um fim em si. Retire o cenário, o figurino, os bailarinos e o que sobra? Um popzinho sofrível, apenas. Porque trata-se de música feita para ser vista – no show, no clipe, no DVD – e não ouvida simplesmente.” É esse o problema dela,e é por isso que eu digo que ela não é feminista,ela não é uma cantora gostosa,ela é uma gostosa que canta.É diferente.
    Enfim,adorei o post,vou voltar aqui mais vezes.

    Gostar

  7. Oi, Helê.
    Entrei aquii por um comentário seu no blog da Marina W. Como vc escreve bem, menina.
    Bjos
    Bia

    Ô, Bia, obrigada. Volte sempre
    Aquele Abraço,
    Helê

    Gostar

  8. Se compararmos Madonna e Michael Jackson, é gritante um fato: Madonna soube levar a carreira adiante. Cada polêmica que você critica serviu para alavancar albuns ou turnês. E discordo sobre a qualidade da música, ‘Ray of Light’ e ‘Conefessions…’ são bons albuns de música pop. Sim, claro, nada que se compare a ‘Thriller’, mas a qualidade de um não apaga a qualidade do outro.

    Me repetindo, com todas as suas críticas, temos que admitir que Madonna soube permanecer relevante, mesmo sendo da década retrasada. E não venham me falar que MJ ainda fazia música relevante, porque ele fez muito pouca música de uns tempos pra cá, e todas esquecíveis. Ou alguém aí consegue assoviar uma ou duas músicas do seu último album?

    Sds
    Lucas

    Gostar

  9. Até Like a Prayer, lançado em 1989, eu não te daria razão. Desde então Madonna tem se esforçado para endossar suas impressões a respeito dela. Não há comparação entre Michael Jackson e Madonna. E popozinho sofrível é bondade da sua alma generosa. A bunda dela é horrível.

    Gostar

  10. Quando penso em Michael Jackson, além da música, penso também no pacote completo – no que ele fazia com o corpo – peito, braços, pernas, etc -; nas superproduções dos shows (com dançarinos também); nas superproduções de videoclips. Como Madonna… Agora, as comparações que li entre ela e o Michael não foram no sentido de equipar os talentos, mas dão conta de que, com a morte dele, ela resta como o último dos grandes ícones pops da nossa era. Isso porque devido à internet, há hoje uma grande mudança na indústria do entretenimento, na distribuição de CD’s, etc. Então, foi-se o tempo dos milhões de discos vendidos, de uma única figura dominando a cena musical mundial. Isso seria coisa do século passado, e a Madona resta como a última dessa safra. Foi o que andei lendo, e acho que faz sentido.
    Beijo.

    Gostar

  11. Eu adoro a madonna,afinal de contas fui adolescente nos anos 80 e dancei muito suas músicas nas boates da vida e além disso gosto da sua música e para mim isso não se explica e acho que até hoje ela conseguiu se reinventar, para uma artista que assim que apareceu foi taxada de efêmera, ela ainda tá aí cantando e encantando. Mas tb concordo com vc que não consigo associá-la a Michael Jackson, pois o vejo musicalmente mais talentoso, apesar de que acho que a sua obra se perdeu ao longo dos anos junto com a sua vida sofrida e solítária, porém ele vez o maior DISCO de música POP de todos os tempos, e acho que nesse quesito até a Rainha do Pop concorda e sabe que ele está num patamar acima.E como vc disse gosto é que nem bunda, né?
    Mas mesmo assim continuo seu fã e viva a democracia sempre.
    bjs.

    Gostar

  12. Olha. Só quem já se jogou de verdade numa buátchy all night long sabe o poder da senhora Ciccone. Ela é imbatível on a dance floor, mas concordo que é de outra tribo que o MJ. Enquanto Michael agrada até crianças e velhinhos, Madonna É do povo da noite. Rainha!

    Gostar

  13. Helena,

    Acho que você tem razão em quese tudo, pois além de tudo que vc vê de mal feito pela madona, adiciono esse tal feminismo aparente, para mi faz parte da obra, é mais um nos muitos engodos que ela inventa. Pena dela que se ache gostosa aos cinquenta daquele jeito. Os fãs dela podem achar muitas coisas dela, mas gostosa, isso é no minimo falta de critério.
    MJ e Madona, Nada a ver um com o outro.
    bjs,

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: