Tapetes sinceros

Helê

Anúncios

Retrospectivazinha

Não, yo no tengo a acuidade de mi sócia para fazer uma retrospectiva que mereça esse nome – isto é, feita nos momentos finais ou iniciais do ano, que cubra regiamente os últimos doze meses. Mas, mantendo um dos mais caros valores deste blogue que é o calabocajámorreuquemmandanessebloguesoueu, segue aqui um brevíssimo bestófi de 2009.

Shows: Toni Gostoso Platão no Escada xópin, Lulu Santos, com a Lôra e Cláudio no Tijuca Tênis Clube; Paralamas no Vivo Rio.

Descoberta: arquitetura e  urbanismo

Carnaval: Escravos da Mauá e Mulheres de Chico

Alegria: quem me deu mais foi o Flamengo. Tricampeão carioca e hexacampeão brasieliro. Sorry, periferia.

Corrida: Human Race Nike, 10 Km

Festa: meu aniversário de 40 anos, uma feijoada preparada pelo meu pai.

Piada: Copa em 2014, Olimpíadas em 2016 – o Rio vai enforcar 2015.

Helê

No salão

São duas canções que falam de situações semelhantes: casal vai à festa (ou ao samba, ao baile) e a mulher evolui pelo salão com outro(s) parceiro(s).

Em uma delas, um samba sincopado,  o cidadão quer evitar o “bate-boca no salão”, e por isso pede que ela “não faça papel de louca”. Embora enérgico, mantém a elegância. A inocente chega a bater palmas e pedir bis quando para o samba – afinal, é uma dança sem compromisso…

Na outra música, que tem uma deliciosa levada latina, o gajo concede o alvará para que a mulher dance com outros, lembrando que é ele que vai levá-la pra casa, e reserva para si a última dança. Faz a linha liberal-eu-me-garanto.

Das mulheres só se sabe que gostam muito de dançar :-). As histórias são contadas pelos homens, então lembrando de Bentinho e Capitu, convém não julgá-las. Mas imagina-se que sejam fascinantes – afinal, se não fossem, seus pares poderiam simplesmente deixá-las ou encontrar outras companhias. A despeito de certo desconforto, com mais ou menos fair-play, ambos insistem em continuar com as damas que trouxeram ao salão.

Sem compromisso e Save the last dance for me: duas músicas divertidas e dançantes; dois cavalheiros pacientes; duas mulheres interessantes… Ouça no DufasDial , escolha a sua favorita e diga se você de identifica com algum desses personagens.

Helê

Post revisto e ampliado a partir de versão publicada em 16 de maio de 2006

Contos de Fadas (pras Fridas)

Eu pedi com jeitinho e a Mani, que é uma moça obediente, atendeu rapidinho. Vejam como é que a Cinderela ajuda as crianças a lidarem com a dura realidade da vida…

Era uma vez uma menina que foi abandonada pelo pai, pela mãe e só tinha uma madrasta malvada que dava tudo pras irmãs dela e só fazia ela de escrava, obrigando ela a fazer o dever de casa, tomar banho, pentear o cabelo, desligar a televisão e até ir dormir SOZINHA! O que essa pobre menininha podia fazer? Bater na madrasta? Ela tão fraca e pequenininha? Chamar a polícia? Mas a polícia está do lado das madrastas! Fugir de casa? Mas na floresta tem Lobo Mau! (tá, essa saiu de outra história, mas a gente acumula experiências, né?) Bem, a Pobre Menininha (dá-lhe Luluzinha!) fez o que todas as crianças saudáveis fazem: leu a história de Cinderela, viu que tem pobres criancinhas que sofrem mais, viu que sempre dá pra lavar só embaixo do suvaco, ficar mais quinze minutinhos com o volume baixinho, responder sim e não em vez de dar aquelas explicações enooooormes que a professora quer e pedir pra ouvir história na cama. E que pode ser que seja até o papai, o príncipe encantado das menininhas que conte a história antes de dormir e dê um beijo de felizes para sempre. Porque ser proativa também é descobrir como fazer coisas chatas que a gente não pode evitar. Certo, dona Munique?

Mani

Era Outra Vez

Comentários da Mani nos posts sobre contos de fadas, que mereceu vir para a porta da frente:

Cara, a Cinderela é uma revolucionária! Escravizada e explorada por uma tirana ela conseguiu dar a volta na madrasta e nas irmãs e IR NO BAILE DO PALÁCIO!
Claro, precisa ler a história no original e não aquela bobagem água com açucar da Disney. E a Bela Adormecida? Ela é a atriz principal , o príncipe só aparece no final pra dar um beijinho…
Aliás, quem quiser uma heroína dramática e proativa deve procurar a Pele de Asno.
(…) Vem cá, vcs querem que a Cinderela fuja de casa? Que na próxima crise, quando a sua filha se sentir injustiçada ela pegue a malinha dela e imite a Cinderela?
Gente, a Branca de Neve domina um palácio, domina SETE homens, resiste a três tentativas de assassinato, ressussita e vocês ainda acham pouco? hahaha

Fica o convite, feito em público para não deixar ela recusar: Mani, que tal escrever um guest post sobre a simbologia das princesas (que não são as da Dsiney)?

-Monix-

Ainda os contos e as fadas

A Anna V. deixou um comentário bem bacana e divertido sobre o último post da Outra que eu ia responder lá, mas decidi trazer aqui pra sala. Eu implico com a Branca de Neve, Anna, porque ela era muito burra, cara. Caiu no caô da bruxa três vezes, falassério! Gosto da Ariel e da Bela da Fera, porque elas são pró-ativas, hahaha. Já a Adormecida é outra songa-monga que só dorme, mas não deixo de achar uma lição de convivência o fato de que toda a desgraça dela deu-se porque não convidaram a feiticeira. Etiqueta é tudo nessa vida, querida.

princesses

Princesas sob nova perspectiva

Helê

O fim do ponto G

Então quer dizer que agora não tem mais? Pôxa!… Não que eu tivesse encontrado o caminho – mas a graça estava exatamente em procurar, né não?

Helê

%d bloggers like this: