Loura má

Quando éramos chicas, nossas escolas eram assombradas pela lenda da Loura do Banheiro, ou simplesmente a Mulher Loura, para os íntimos. Ninguém sabia bem sua origem nem o que fazia , mas é claro que ela estava lá, indefectível, assombrando as meninas que se aventurassem a entrar sozinhas no banheiro da escola. Como era uma época muito menos conectada que os dias que correm, provavelmente ninguém pensava que a Loura poderia aparecer em todas as escolas da cidade; cada uma pensava que era coisa do seu colégio, no máximo do seu bairro.

Anos se passam, as memórias da infância se esvanecem, e eis que em pleno século XXI, a Loura do Banheiro ataca novamente. Desta vez com direito a vídeo no You Tube, verbete na desciclopédia, inúmeras referências no Google e até uma participação especial em gibi da Turma da Mônica. (Na era da informação, até assombração tem um ar de celebridade.*) Para encurtar a história, descobrimos, recentemente, que os dois fridinhos têm cada um a sua própria Loura do Banheiro. Muda um detalhe ou outro – o que fazer para evitá-la ou fazê-la aparecer, por exemplo. Um se pela de medo, a ponto de evitar usar o banheiro da escola; outro parece se divertir mais que qualquer outra coisa. Os tempos são modernos, mas as lendas urbanas são as mesmas do século passado.

 Duas Fridas

 * Vale lembrar que a Murta Que Geme, personagem importante da saga de Harry Potter, é a versão pop e globalizada da nossa assombração de estimação. Vai dizer que não? 
%d bloggers like this: