Waving flag

Eu sou o pior pesadelo do povo que acompanha futebol: a típica paraquedista da Copa do Mundo. Não entendo nada do esporte, mal sei quem é a bola, desconheço os jogadores, mas de 4 em 4 anos visto a camisa verdeamarela e torço emocionadamente.

É uma torcida mais patriótica que futebolística. É bem verdade que durante as poucas semanas de duração do campeonato aprendo os nomes dos jogadores (sim, sou tosca a ponto de não saber nem isso), finjo que entendi o conceito de impedimento, arranho a superfície da compreensão de técnicas e táticas, decoro a tabela. Dois dias depois da final, já não sei mais nada. Mas o que me importa é a festa que une o país inteiro em torno de uma ideia. A pátria de chuteiras é uma potência internacional, dentro de campo nós sabemos como funcionar, exploramos ao máximo o conceito de excelência que tanto nos faz falta nos serviços e na infraestrutura. Eu nasci na década de 1970, quando era considerado de bom-tom torcer contra e futebol era sinônimo de alienção política. Quarenta anos depois, a discussão já está mais do que superada, e acho o contrário: que os valores associados ao futebol brasileiro deveriam ser apropriados positivamente pela política, pelos negócios, pela cidadania.

Outra coisa que me fascina em Copas do Mundo é a possibilidade de ver as nações se enfrentando no âmbito do esporte – a forma que a civilização encontrou para canalizar a energia guerreira que todo país traz em si. A Copa, assim como as Olimpíadas (ainda que de forma mais diluída), ensina aos povos do mundo que é possível competir, afirmar superioridades e conquistas, sem destruir, sem belicismo. Acho do cacete.

Por fim, a cada competição de grande porte, aproveitamos para conhecer mais sobre os países que sediam o evento, sua cultura, costumes, diferenças e semelhanças. E não consigo pensar em uma forma mais interessante de se diminuir a beligerância entre os povos além desta: conhecê-los.

Boa Copa para todos nós – e que venha o hexa!

-Monix-

PS – De quebra, nesta Copa teremos o prazer de ouvir o mais belo hino já composto para uma competição esportiva. Salve a waving flag.

4 Respostas

  1. […] Posted on Sexta-feira, 2 Julho, 2010 by dufas Ainda no espírito deste post, uma coisa que acho interessante nessa Copa da África do Sul é que com a maior visibilidade das […]

    Gostar

  2. ai, é tão bom encontrar uma torcedora do mesmo tipo que eu, rsrsrs… boa Copa pra nós, queridona!

    Gostar

  3. Solidarizo. E eu ainda assisto aos jogos fazendo tricô. Orgulho da raça!

    Gostar

  4. Fora que o futebol bem jogado é lindo, né?
    Não conheço nenhum outro esporte que deixe tanto espaço pra jogadas individuais, mas ainda seja absolutamente necessária a atuação em grupo. Em que um jogador maravilhoso pode salvar o time e um time com jogadores individuais não tão bons mas muito entrosados em grupo possam mandar tão bem.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: