Torres

No dia 11 de setembro de 2000 eu estava lá. Exatamente um ano antes do atentado que nos fez sair definitivamente do século XX.

Não voltei a NY depois disso (tenho planos). Não imagino como pode ser o skyline mais famoso do mundo sem sua marca registrada: as torres gêmeas, que antes mesmo de ficarem prontas já mostravam que seriam o símbolo não apenas da cidade mas da grandeza do que o homem podia realizar: o francês Philippe Petit, num lampejo de ousadia, atravessou o vão entre os dois edifícios sobre um cabo de aço, proeza muito bem recontada no documentário O Equilibrista.

Quando foram derrubadas, as torres já não tinham mais o recorde de altura. Já tinham sido superadas. Porém nenhuma outra construção simbolizava tão bem o poderio do império americano. Não sei o que será construído no lugar, mas sinceramente duvido que tenha o peso que o World Trade Center tinha no inconsciente coletivo* do mundo ocidental.

Com a destruição das torres, encerrou-se uma era. E de certa forma fico satisfeita de poder dizer que antes disso, meninos, eu vi.**

-Monix-

* Ainda se usa essa expressão? Ou saiu de moda? A pessoa é velha…
** As fotos foram tiradas do mirante no terraço de uma das torres – já não lembro mais qual das duas. Observem a diferença de altura entre o WTC e os outros prédios também bastante altos de Lower Manhattan. Era uma coisa impressionante mesmo.
%d bloggers like this: