Voto proporcional ou Como Judas se dá bem

O chamado “voto proporcional” é uma das maiores aberrações do sistema eleitoral brasileiro. Diferentemente do voto majoritário, no qual o candidato que obtiver mais votos está eleito, o voto proporcional utiliza um malabarismo numérico – uma espécie de equação – para calcular “proporcionalmente” quem foi eleito, tomando como referência a quantidade de votos válidos e a quantidade de votos recebidos pelos partidos e pelas coligações partidárias, redistribuindo-os internamente. Em outras palavras, você vota em Jesus, mas, por tabela, também elege Judas, que faz parte da mesma coligação ou partido do Crucificado e se beneficia com a “sobra” de votos dele. E o pior: se Jesus estiver num partido pequeno, mesmo que receba milhares de votos a mais do que Judas, que está num partido grande, corre o risco de não se eleger, porque seu partido não teria obtido o tal coeficiente eleitoral. É totalmente absurdo.

O sistema proporcional é usado na eleição de deputados federais e estaduais e vereadores. É por isso que, com frequência, a população não se reconhece nos parlamentares eleitos. É porque, na verdade, não votou neles. Quase ninguém lembra disso na hora de votar. E adivinhe por que ninguém divulga esta questão (nem o TSE!) ou toma alguma iniciativa para acabar com isto…

O cientista Jairo Nicolau explica bem melhor neste texto: Como votar para deputado.

Do sempre perspicaz Christian Morais, um de nossos top leitores. Por essas e outras.

Atenção no voto, pípol.

Helê

É Primavera

primavera 2010 esse ano tem inicio durante o “equinócio” do dia 23 de setembro exatamente às 00:09hs e terá duração de 89,85 dias. A palavra equinócio vem do Latim e significa noites iguais, ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo.

Depois das imagens do dia da árvore, e da que saudou Setembro, escolhi essas para receber a Primavera, na expectativa que as pessoas também possam florescer e desabrochar.

Via Deviantart

The Flower Girl Team, Cris Harrison

Helê

%d bloggers like this: