Percepção

*Da série ‘E-mails que viraram posts’

Vou te contar um segredinho, daqui do Casa dos 40: volta e meia eu me deparo com fotos minhas antigas em que eu me acho muito bem, bonita, atraente, magra até. E sabe o que é doloroso, talvez mais até do que não me sentir assim agora? É constatar que eu era gostosa e não sabia, porque me lembro claramente que naquele momento da foto eu estava me achando gorda, feia, esquisita ou sabe lá o quê mais (e não estou falando da adolescência, período em que a gente se sente esquisito a maior parte do tempo) . E qual não foi a minha surpresa ao constatar que o fenômemo é coletivo: outro dia, numa mesa com várias mulheres da mesma faixa etária, todos ainda belas e desejáveis, todas elas disseram experimentar a mesma triste sensação: se olham em fotos de 10, 5, 3 anos atrás e percebem que estavam muito melhor do que achavam então.

Dá certa angústia, mas pode ser encarado de outra forma também: vai que eu tô gostosa agora e também não sei? Heim? Heim? Tá, #Pollyanafellings, eu sei, mas antes isso, que eu não tenho vocação pra tristeza . Envelhecer não é fácil, J., e pra mim começou nessa mesma época – quando eu passei a reparar nos mais jovens que eu. Mas em geral o desconforto, antes de ser físico,  tem a ver com projetos inacabados, sonhos negligencicados, falta de rumo. E, nesse contexto, não apenas a grama do vizinho parece mais verde, mas nosso passado também torna-se mais interessante de ser lembrado que foi de ser vivido.

(

(Via Tudo ao mesmo tempo agora)

Talvez eu aproveite algum pedaço desse e-mail para um post futuro. Com certeza aproveitarei pra mim mesma, porque algumas certezas só mantém a firmeza na forma de conselho prozoutros – tornam-se maleáveis demais quando  somos nós mesmos acometidos de insegurança. Porque já isse o Erhman, citado pelo Russo, “muitos temores nascem do cansaço e da solidão”. E alguns desejos também.

Parabéns, Geide, seja bem-vinda. A Casa dos Quarenta tem uma boa vista, excelentes companhias  e é mais ampla e acolhedora por dentro que por fora. Seja feliz e divirta-se. Aquele Abraço!

Helê

PS: O e-mail eu escrevi para um amigo, meses atrás. Durante a escrita percebi que poderia virar um post; acabei escolhendo hoje como um presentim para  a Geide,  que chega a Casa hoje.:-)

%d bloggers like this: