Passa mais tarde


“Definição de insanidade: fazer a mesma coisa diversas vezes esperando resultados diferentes”

Albert Einstein*

Essa frase me vem à mente a cada referência eleitoral que cruza meu caminho. Eu, que nunca fiz a linha anarquista, punk ou porralôca, não estou vendo o menor sentido em participar do processo, sob nenhum aspecto. Daqui até lá tem tempo e é provável que  até outubro eu me convença ao menos a votar. Não sei, vamos acompanhar. Mas nunca antes na história desse país eu tive tanta preguiça de falar sobre eleição, nunca o sistema todo soou  tão inócuo. Qualquer comentário que dure de mais de três frases e o velho Albert sussurra na minha orêia: ” A definição de insanidade…” Por enquanto, tô fora.

Seriously— (by Any Syler)

*Caras, eu super respeito um cara que usa essas pantufas e ainda e se deixa fotografar com elas. Tem que.

Helê

Dufas no Face

Imagem

Vocês sabem que o blogue tem uma página no facebook, né? Bom, vocês conhcem minha filosofia de vida/mantra/ lema, o Vaique. Vai que não? Vai que tem alguém que chegou agora e perdeu esse episódio? Para esses e outros desavisados, segue nosso endereço na pracinha atualmente mais frequentada da internet. Curta a página, indique para os amigos – temos 188 seguidores e a gente gosta de número redondo, vocês sabem. (Meu objetivo secreto é ter 1 milhão de amigos, igual ao Roberto, e pedir um real pra cada um. Mas fica entre nós, heim?)

Helê

Da série “Carinho todo mundo quer” – gatos

(Source: ambington, via fuckyeahinterspeciesfriendships)

(Source: harmony-n-nature)

(fuckyeahinterspeciesfriendships)

Helê

Curvas

(via whispsofinvisibleme)

(Source: alexej, via algoparapostear)

(Source: mensbody, via gcholant)

Como diria o Poetinha, porque hoje é sábado.

Helê

Dia das avós

(Via Tua mãe Gosta)

Parabéns para elas!

Helê

Verbetes

(via tuamaegosta)

(Source: aprear, via alegriadodia)

Helê

Amy, 1 ano

(Do meu painel Amy)

Helê

Ideia na cabeça, câmera na mão – e uma vaquinha pra ajudar

Olha aqui, presta atenção: esta não é a nossa canção, mas sim o documentário que a minha amiga Paula Damasceno está preparando sobre o “The Carolina Theatre”, um cine teatro de 85 anos, ativo graças ao empenho da comunidade em Greesboro, Carolina do Norte, EUA. O que você tem a ver com isso? Muito, se você gosta de cinema e história, porque o Carolina é como aquele cinema do seu bairro, lembra? O Baronesa ou o Bruni, no Rio (citem os seus cinemas extintos, leitores paulistas, mineiros e demais). Só que esse sobreviveu e tem inúmeras histórias para contar – inclusive do tempo em que brancos e negros tinham lugares específicos para assistir aos espetáculos e filmes. O tempo passou na janela e essa Carolina viu tudo.

A diretora do documentário está fazendo um crowdfunding, ou melhor, uma vakinha para comprar a passagem necessária para finalizar o documentário. Na página Carolina 85 ela explica tudo melhor que eu, e você pode ver um teaser do filme. Eu agradeço a quem puder colaborar e recomendo naquela minha categoria máxima, dicumforça. Com 10 reais você ajuda a fazer um filme – mais barato que assistir a um, dependendo do cinema. Eu já colaborei, e você? Vai lá. Agora, não deixa pra depois  ;-) .

Helê

Bom domingo

(Deux pas de deux… por Stéphane Berla em 500px)

Helê

D.I.A

(Do meu  board Companheiros/Dudes)

Desconheço maneira melhor de caminhar pela vida que ao lado de um amigo

Aquele Abraço para os meus!

Helê

%d bloggers like this: