Um post #classemediasofre

Uns meses atrás, a maior revista semanal brasileira trouxe na capa a pergunta: “Por que o iPhone no Brasil é tão caro?”

Não cheguei a ler a reportagem, até porque já sei a resposta. E é muito simples, não precisa de páginas e páginas com depoimentos de especialistas. Cabe em poucas palavras: o iPhone (e qualquer outra coisa) custa exatamente o preço que as pessoas estão dispostas a pagar.

Esta semana fui a São Paulo a trabalho, e tanto em Congonhas quanto no Santos Dumont vi uma propaganda de uma bandeira de cartão de crédito que mostrava um navio de cruzeiro virar um pedalinho, ilustrando um título que dizia mais ou menos o seguinte: pagando em 48 vezes, você pode fazer qualquer coisa.

Gente, sério. Parem. Por favor, parem.

O Brasil entrou agora (digamos, há 50 anos no máximo) para a turma dos países-industrializados-com-população-urbana-de-classe-média. A educação financeira não é exatamente nosso ponto forte. E enquanto as pessoas (e marcas) estiverem olhando para o valor da parcela, em vez de escolher suas compras pelo valor total do produto, tudo vai custar mais caro.

Porque é lei do mercado, né. Como aprendi com meu pai, tem duas leis que não dá para revogar: a da gravidade e da oferta e procura. Ou seja: se tem maluco que paga 2 mil reais numa coisa que poderia custar 500, o preço desta coisa passa a ser 2 mil reais. É óbvio.

Só sei que me dá nos nervos cada vez que vejo numa vitrine algo com um preço que acho razoável, e quando me aproximo da etiqueta, vejo um “6X” na frente. Ou quando digo ao vendedor que não vou levar um produto porque acho que está caro e ele argumenta que “pode parcelar em não sei quantas vezes”. Eu sei que a culpa não é dele, mas por favor.

Está na hora de começarem a ensinar nas escolas, além de “a ordem dos fatores não altera o produto”, outra lição básica: “o valor das parcelas altera o custo final. Para mais.” Ou seja, o que já era caro vai ficar ainda mais caro (olá, juros). Depois não adianta sentar numa mesa de bar e se lamentar a respeito de como está tudo tão caro e onde é que isso vai parar.

-Monix-

%d bloggers like this: