Gritos e sussurros

Rede de Intrigas é um filme clássico para quem estuda Comunicação. Assisti pouco tempo depois de me formar, e confesso que não gostei muito – na época, achei que o filme tinha envelhecido mal, que estava datado, que não fazia muito sentido para alguém que, como eu, estava imersa na cultura quase-cyber dos anos 1990.

A trama do filme é a seguinte: o âncora Howard Beale, cuja popularidade está em queda, é demitido da emissora e surta ao vivo. Em determinado momento do filme, ele conclama os espectadores a correrem para a janela e gritar “I’m as mad as hell and I’m not going to take it anymore”, num brado coletivo contra tudo isso que está aí. Para mim, pareceu meio caricato e inverossímil: quem iria para janela gritar, ainda mais uma frase como essa, sem um bordão claro nem objetivo específico?

.

.

Pois é, mas o mundo gira e a Lusitana roda (gente, calma, esse slogan não é do meu tempo não, tá?) e de repente cheguei à conclusão que na era das redes sociais todo mundo grita na janela. O Twitter é lotado de pessoas repetindo “I’m as mad as hell and I’m not going to take it anymore”, sem um bordão claro nem um objetivo específico.

O interessante é que, como costuma acontecer, o “sistema” já tomou conta dessa gritaria na janela. As empresas monitoram redes, criam relacionamento, buscam relevância e tudo mais. O que não deixa de ser uma coisa boa.

Agora com licença que vou ali fechar a janela. Muito barulho.

-Monix-

%d bloggers like this: