Um ano bom

Sim, eu gostei de 2012, foi um ano gentil comigo. Se não me trouxe conquistas notáveis, poupou-me de grandes sofrimentos e aporrinhações  sistemáticas. Sobraram apenas  as dores crônicas e chateações aleatórias. Convenhamos: é o bastante para gostar de um ano – mas não para se conformar, prestenção, eu quero mais da vida. Mas sem ingratidão quando ela lhe trata bem, né mesmo?

Eu sabia e avisei que um ano que começa com show do Chico Buarque só pode ser bom. Quando ainda por cima você fala com ele, beija e tira foto…  É a glória, gente (e o Catete e a Lapa  também – piadinha carioca). Houve vários momentos bacanas em 2012, como a s bolinhas da Praça Paris, a Fal lançando livro no Rio, o carnaval do Me Chama com Musa e tudo, almoço com a Vera e T. no Alentejano, voltar a correr, meu aniversário comemorado comme il faut, em diversos eventos; o show incrível do Maroon 5 com as melhores companhias, os melhores shows com a Geide e outras amigues.

Então é isso, gente, deu vontade de fazer esse resumão meio fora de hora mas ainda em tempo – afinal hoje, Dia de Reis, é tempo de desmontar a árvore de natal, resquício do ano anterior, e momento de se preparar para a primeira segunda-feira do ano (deus nos proteja!). Eu desejo sinceramente que você tenha uma ano sensacional, memorável e apaixonante. Mas se não for assim,  que seja leve, agradável e deixe alguma saudade – já será suficiente para agradecer.

gratitude

Helê

%d bloggers like this: