Relativo

O tempo, esse que a gente mata e ganha, perde e recupera, mas não consegue domar. Ilusionista perfeito, varia no espaço da nossa ansiedade, na profundidade do sofrimento, na velocidade da alegria. Nós o dividimos em muitos pedaços – décadas, segundos, trimestres – na tentativa de dominar o incontrolável, uma entidade que se mostra diferente de acordo com o lugar de onde o  olhamos. Houve quem reclamasse que agosto durou meses; já para mim, o inverno começou em maio.

Mas há, claro, algumas poucas convenções universais. Todo mundo sabe e concorda que os anos passam rápido, enquanto os dias se arrastam. Os primeiros dez dias do mês duram um fim de semana; os 20 dias restantes demoram dois meses para passar. A segunda feira dura 72 horas, até a ONU reconhece. E a manhã de sábado termina em meia hora, como se verifica em qualquer latitude. Ou é só comigo?

albert

Helê

Anúncios
%d bloggers like this: