Eterno retorno

2019, gente. E ainda tem homem que não sai com mulher que tem filho? Sério?! Que desânimo, viu. Aí a gente entende porque chegamos nesse ponto e elegemos isso que taí…

Foi Lord Cláudio Luiz quem nos pautou, mostrando matéria publicada no Uol sobre gente que não sai com quem tem filhos. Eles tentaram falar assim, nesses termos igualitários, mas desde o título o enfoque recai sobre quem? Claro, as mulheres sendo preteridas por terem filhos e “como encarar melhor essa rejeição que é bem comum…” Será que a gente não faria melhor desencorajando essa rejeição? Ou tentando saber se o inverso acontece, se os homens também são preteridos por serem pais? Não seria melhor falar sobre isso que publicar notícia que naturaliza preconceitos? (Na minha [estéril] experiência em aplicativos de paquera, com frequência os homens posam com filhos ou sobrinhos, parece que ‘pega bem’ no mercado amoroso. Mas suspeito que o mesmo não se dá nos perfis femininos, digam aí os rapazes usuários desses apps )

Depois que até o papa ensinou o óbvio, que “mãe não é estado civil”, achei que a nossa campanha poderia ser arquivada para sempre, mas pelo jeito não. Foi no longínquo 2005 – portanto, fucking catorze anos atrás! -, que aderimos à campanha “Namore uma mãe solteira”, que tinha, claro, algo de humor e muito de verdade (e sabe-se, à boca pequena, que funcionou bem para umas e outras…). No universo paralelo que ora vivemos, onde quanto mais se caminha menos se avança, retiramos do baú as razões pelas quais namorar uma mulher com filho(s) é muito interessante:

Campanha Namore uma Mãe Solteira

1) Nós não temos pressa de casar, porque já temos filho
2) Nós não temos pressa de ter filho, porque já temos filho
3) Nós não temos tempo de grudar no seu pé, porque já temos filho
4) Se você quiser ter um filho, tudo bem, porque já temos filho
5) Se você não quiser ter filho, tudo bem também, porque nós já temos filho

Helê

Anúncios

2 Respostas

  1. Eu namoraria uma mãe solteira. Com efeito, eu passei oito meses casado com uma mãe recém separada do pai do filho. Agora entrem na parte masculina de um desses aplicativos psicóticos e vejam quantas mulheres colocam claramente a opção “homem sem filhos” como imprescindível para o match.

    Vocês tem alguma explicação para isso?

    A propósito: relacionamentos abusivos ocorrem só quando o homem é abusivo? também queria um comentário sobre isso. Meus quatro casamentos foram. E não por minha parte.

    Mas enfim, acaba sendo minha palava contra o mundo. No momento estou num sério esforço para evitar relacionamentos, de qualquer espécie. O preço é caro demais, apesar do esforço ser quase desumano. Não é humano viver sozinho.

    VP, a gente não tem como “ir na parte masculina desses apps”, então obrigada pelo depoimento. As razões estão descritas na matéria, que erra ao centrar a coisa nas mulheres com filhos; o que eles chamam de rejeição também acontece de mulheres para homens com filhos. E, sem ser uma expert no tema, acredito que num relacionamento abusivo o abusador pode ser qualquer uma das partes.
    Abraço,
    Helê

    Gostar

  2. Muito complicada essa campanha baseada em “nós não temos pressa de casar, nós não temos pressa de ter filho, namore conosco!”.
    Lê-se como se o homem procurasse por essas características, como se fosse algo a ser almejado pelas mulheres. Não há problema algum em ter pressa de casar ou em ter pressa para ter filhos. Não há de se incentivar na sociedade a falsa ideia de que mulher está sempre com pressa pra se casar por meio do apelo pelo “namore conosco”, pois temos essas “qualidades” de não querermos ter filhos logo.
    Esse tipo de abordagem perpetua a ideia de “desespero feminino”, é uma oferta que está enraizada na imagem pejorativa de “louca pra se casar”/”desesperada pra ser ter filho” que as mulheres solteiras já carregam, e a imagem de “despreocupadões” que os homens elevam com orgulho. Desnecessário.

    Uma campanha com esse título já diz, de cara, qual é o peso da sua necessidade, não é mesmo? Discordo da sua leitura, acho que faltou a você, no mínimo, uma dose de humor e ironia, sem qual tudo fica muito literal e…desnecessário. Mas todo comentário bem articulado e respeitoso é bem-vindo por aqui. Volte sempre.
    Helê

    Gostar

Deixe uma Resposta para VP Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: