RCP no blogue

Fiquei um tanto horrorizada quando a Monix constatou na newsletter que passamos o mês de dezembro de 2021 inteiro sem postar. Sim, temos motivos para isso, além do Grande Motivo dos últimos e próximos meses (ai, ai), a Pands. Mas ainda assim, francamente; não é assim que se faz um blogue (auto-esporro: temos). Então cês me desculpem, seguem uns dedinhos de prosa pra não ficar esperando A Inspiração, porque não tá tendo.

**

Ontem escrevi duas cartas – não importa que tenham sido enviadas por e-mail. Tinha (muito) mais que três linhas e, em terra de whatsApp, e-mail é rei. Impressionante a quantidade de vezes que escrevi a palavra pandemia, esse inferno que parece indefinidamente instaurado nas nossas vidas. Irritação com tudo isso e muito mais!, como diria o locutor da Sessão da Tarde. Mas irritação ainda é melhor que tristeza, eu acho; nos coloca numa posição ativa.

**

Nada contra passiva, inclusive ôpa. #suja

**

No fim de dezembro, durante uma valiosa semaninha de recesso, corri para praia quando pude – ainda bem, porque depois o sol meteu o pé e deu lugar à chuva, quando muito ao momarço (que eu te-tes-to). Além das atrações óbvas, eu amo ouvir a praia, os pedaços das conversas de turminhas de jovens, das familias estressadas ou delumbradas, e a divertida prosódia de vendedores e vendedoras praianos, com o sotaque carioca carregadíssimo (pix aqui virou piquicê!) e as mais inventivas chamadas de venda. (Ia dizer que devia ser estudada mas não, iam estragar a parada). A. acaba de me mostrar um ensaio divulgado pela Mídia Ninja que aponta a lente para essa galera; vale a pena.

**

Sim, o vendedor de queijo coalho aceita píquice. Guardadores de carro e pedintes também. O Rio de Janeiro se adapta. O que é a sua glória e a sua miséria.

**

Eu cheguei a achar que esse era o verão do Píquicê, antes que a Ômicron tomasse pra si a mais carioca das estações e o Viruspalooza que assola a cidade tornasse inviável o mais importante evento do calendário. Olha, vôticontá!

**

Aliás, entre as minhas possíveis fantasias de carnaval (tenho um acervo delas), está o de vendedor de Mate Leão; sou apaixonada por aquele uniforme.

**

Muita gente indicou o doc Quatro horas no Capitólio,  na HBO, a propósito do aniversário daquela sandice tão vergonhosa quanto perigosa. A constatação imediata é que tudo foi muito pior do que pensávamos e a democacia americana foi defendida no braço, sem metáforas, com bem disse a Monix. Mas o que mais me impactou durante todo o documentário é a aura que envolve os manifestantes brancos, que os impede de serem tocados pela polícia. Mesmo em confronto direto com agentes de segurança ele não são tocados. Como se portassem uma capa de invisibilidade, os caras gritam na cara dos policiais a dois dedos de distância, e são repelidos com um…”back off” zangado. Pensa num negro dizendo na cara, literalmente, na cara de um puliça branco, “Faça o seu trabalho!” e me diga como a ação iria se desenrolar a partir daí. O doc tem cenas muito fortes, que dão outra dimensão ao que vimos no noticiário, mas nada me chocou mais do que isso. 

**

Bom, gente, fico por aqui, acho que pra início de conversa e ressucitação do blogue já foi suficiente, não? No mínimo, respira por aparelhos. Querendo mais, manifestem-se. ;-) 

Helê

Advertisement

2 Respostas

  1. eita, comentando de novo para clicar no “notificar” novos comentários. kkkk ♥

    Liked by 1 person

  2. muito bom, querida!! acabei de escrever o rascunho do post de amanhã e tem sonho de mar e de carnaval também. acho que estamos todos respirando por aparelhos sonhando junto, pelo menos. ♥♥♥ Muito bom te ler!!

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: