Julice 1.7

Minha filha pediu para receber os amigos em casa sozinha, no aniversário de 17 anos. Pensei, pensei e não encontrei motivos para negar – poucas pessoas, pouco tempo, conheço a maioria… Repeti muitas vezes as mesmas recomendações – no sex, no alcool, no bagunça no elevador e nada de danificar a propriedade (que nem própria é) – e permiti.

Fiquei fazendo hora no shopping, pensando se fiz certo ou não – afinal, mãe sem culpa e dúvida nem mãe é. De vez em quando mandava uma mensagem investigativa: “Tudo bem?” “Jesus tá no controle?” Respostas relativamente rápidas, positivas e plenas de rsrsrs.

Cheguei e a casa estava de pé – ufa. Como ainda havia convidados, fui para o meu quarto, pra não atrapalhar. Sem perceber adormeci; acordei com a aniversariante me dando um beijo, boa noite e dizendo: “Mãe, obrigada por confiar em mim.”

Dormimos felizes.

African mother and daughter having a great time together | premium image by rawpixel.com

Helê

 

Julices para quem precisa

Ela é uma usina de situações dignas de registro, mas participar delas ocupa boa parte do meu tempo. Mas antes tarde que (vocês conhecem o resto…): tem julices fresquinhas no ar.

Para quem não sabe:

Julice
s.f.: ato, comportamento ou dito próprio da Júlia que expressa sua percepção da natureza, da condição humana, ou do que lhe der na telha. Em geral, busca entender ou explicar o mundo. Ou apenas observá-lo. Ou somente divertir-se.

Helê

%d bloggers like this: