Saco

Impressionante como somos condicionados, e quando você pede uma coisa simples, mas fora do padrão, causa um choque. Um exemplo: dispensar sacola plástica. O cidadão, operando no automático, coloca seu pão francês filho único – que já está num saco de papel – num saquinho e você diz “não, não precisa”. Oito em cada dez vezes eu preciso repetir ou acrescentar, articulando todas as silabas “Não, não precisa de saco”. E muitas vezes a pessoa fica te olhando como se você tivesse falado em outra língua e ela estivesse tentando traduzir, com cara de comassim?!. Juro que às vezes eu chego a ouvir um clique na cabeça da pessoa, o cérebro escangalhando, levando um tranco, uma freada. Confesso que às vezes eu aceito a p*rra do saco por pura preguiça.

Helê

Anúncios
%d bloggers like this: