Solidariedade é mais que um sindicato polonês*

Me chamem de otimista incurável, mas ainda acredito que a maioria das pessoas quer ser legal, quer fazer o que é certo, se esforça para ser “gente de bem”.

Esta época do ano é recheada não de farofa (este é o peru), mas de boas intenções e mensagens de solidariedade. Mas ontem tive a oportunidade de acompanhar uma situação que me mostrou que a solidariedade só faz mais barulho em dezembro – mas ela existe em todos os meses do ano.

Meu irmão perdeu a carteira. E recuperou. Isso aconteceu graças a uma série de compartilhamentos no Facebook que fizeram com que a foto dos documentos dele chegassem ao meu feed de notícias – e, principalmente, graças à boa vontade da pessoa que os encontrou.

Postei uma mensagem contando resumidamente o caso. Em questão de segundos, as notificações começaram a piscar: minha rede de amigos reagiu positivamente à história, o que obviamente já seria de se esperar, mas o que achei interessante foi a rapidez com que esse fato aparentemente corriqueiro, e de pouco interesse para alguém além do meu irmão que evitou uma dor de cabeça por conta de documentos perdidos, mobilizou a empatia das pessoas. É reconfortante saber que, a despeito das notícias ruins que ganham destaque todos os dias, existe uma maioria silenciosa que não só acredita na solidariedade como vive de acordo com ela.

E o mais legal foi que, além das dezenas de “curtidas”, muitas pessoas vieram contar histórias parecidas:

“eu perdi cartão de credito, ticket e documentos, no meio de um bloco do carnaval do Rio. E a menina que achou foi legal o bastante pra me procurar no facebook, tirar fotos dos documentos, perguntar se era eu mesmo e tentar me enviar.”

“Já aconteceu comigo também, eu devolvi (achando a pessoa pelo facebook) o cartão de ônibus e na semana seguinte eu que perdi o meu e me acharam pelo facebook.”

“Outro dia achamos uma carteira na rua e tb encontramos o dono pelo Facebook…”

Quem resumiu o caso foi a minha amiga Dani K, precisa como sempre: “puro exemplo prático do conceito “rede social” na sua melhor acepção.”

Antecipando então o clima de fim de ano, desejo que 2013 seja cheio de exemplos de solidariedade para todos nós.

-Monix-

* Essa é só para quem tem mais de 40.

 

 

 

 

%d bloggers like this: