Algumas coisas que você não sabe sobre mim …

ou…
Frases de impacto para uma conversa morna
ou…
Vidas passadas
  • Já dormi no Copacabana Palace
  • Voltei de carona da Bahia para o Rio de Janeiro
  • Namorei um estrangeiro
  • Ouvi o Dalai Lama – ao vivo
  • Fiz um comercial de televisão

Pedidos de detalhes sórdidos devem ser encaminhados à gerência através dos comentários, para análise e avaliação da possibilidade de resposta ;-).

Helê

Anúncios

A origem do meu feminismo – concurso de blogueiras

A Lola está organizando o concurso, que está agora na sua quarta etapa. Em cada uma delas os (e)leitores devem votar no post de sua preferência; os três mais votados de cada fase vão para a finalíssima, na próxima semana.

Nós estamos participando – embora, vergonhosamente, só agora tenhamos feito um post divulgando o concurso (shame on us!). Mas, fiéis a um de nossos mais caros valores, o “antes tarde que mais tarde ainda”, fica aqui nosso registro e a recomendação de que vocês conheçam as participantes e seus textos. Sempre vale a pena bater perna por novos blogues e conhecer outras palavras.

Duas Fridas

Muito obrigada, pessoas!

Para quem ligou, tuitou, mandou sms, msn, email, publicou no mural, deixou pegadas aqui  – uêba, muuuuitos comentários! – muito obrigada, de coração.

A bebemoração fica pra próxima semana, a primeira do mê$ – aquela em que a a gente pensa que tem dinheiro (e por isso fica sem na última).

Besos y gracias,

Helê

Presente

Nesses seis anos de blogue, eu, você, nós duas… já temos um passado, meu amor…

Já são seis aniversários, tantas comemorações, tantos planos, tantas esperanças, tantos desejos e a certeza de que no final tudo tudo tudo vai dar pé.

Já te disse tantas coisas aqui, aqui, aqui, aqui, e aqui.

Hoje quero te dar de presente uma das coisas que você mais gosta: uma enxurrada de comentários.

Vamos lá, queridos leitores. Você que nos lê sempre e nunca comentou, aproveite o dia de hoje, que é dia de festa no Dufas, e dê os parabéns à Helê que está comemorando mais um aniversário. E também você que é nosso leitor fiel e irmão camarada, deixe suas pegadas. Afinal, ela merece ou não merece a nota máxima?

Um brinde à aniversariante!

-Monix-

Se acaso

Estava num samba com um grupo de amigos quando começou a tocar uma música que eu acho divertidíssima, “Se acaso você chegasse”, do Lupicínio Rodrigues (e Felisberto Marins). Acho graça da maneira nada sutil de sondar a reação do amigo cuja mulher agora está com ele. O que começa como um hipótese (se acaso você chegasse … e encontrasse …), rapidamente vira confissão (eu falo porque essa dona já mora no meu barraco). Há um machismo evidente na história: a mulher é “essa dona”, que de dia passa roupa e de noite beija boca – mais parece uma diarista com benefícios (pra ele, claro). E ela é a figura menos importante na história: trata-se de caso real ocorrido entre Lupicínio e o amigo Heitor de Barros, mas não me pergunte o nome da Dona –  perdeu-se no tempo.  A maladragem maior é que, de todos os envolvidos, só autor fica bem na foto: a mulher é “aquela que abandonou” e o amigo tem a lealdade questionada (“Será que tinha coragem de trocar nossa amizade?”). O danado do Lupicínio, que pegou primeiro e perguntou  depois, manteve a mulher e o amigo. E seguiu vivendo de amor.

Pideite: atendendo a pedidos (tá foi um só, mas é o suficiente), segue a letra completa:

Se Acaso Você Chegasse

Se acaso você chegasse
No meu chateau e encontrasse
Aquela mulher que você gostou
Será que tinha coragem
De trocar nossa amizade
Por ela que já lhe abandonou?

Eu falo porque essa dona
Já mora no meu barraco
À beira de um regato
E de um bosque em flor
De dia me lava a roupa
De noite me beija a boca
E assim nós vamos vivendo de amor

No YouTube tem uma boa gravação da Simone, entre outras.

Helê, servindo melhor para sempre servir 😉


Voto proporcional ou Como Judas se dá bem

O chamado “voto proporcional” é uma das maiores aberrações do sistema eleitoral brasileiro. Diferentemente do voto majoritário, no qual o candidato que obtiver mais votos está eleito, o voto proporcional utiliza um malabarismo numérico – uma espécie de equação – para calcular “proporcionalmente” quem foi eleito, tomando como referência a quantidade de votos válidos e a quantidade de votos recebidos pelos partidos e pelas coligações partidárias, redistribuindo-os internamente. Em outras palavras, você vota em Jesus, mas, por tabela, também elege Judas, que faz parte da mesma coligação ou partido do Crucificado e se beneficia com a “sobra” de votos dele. E o pior: se Jesus estiver num partido pequeno, mesmo que receba milhares de votos a mais do que Judas, que está num partido grande, corre o risco de não se eleger, porque seu partido não teria obtido o tal coeficiente eleitoral. É totalmente absurdo.

O sistema proporcional é usado na eleição de deputados federais e estaduais e vereadores. É por isso que, com frequência, a população não se reconhece nos parlamentares eleitos. É porque, na verdade, não votou neles. Quase ninguém lembra disso na hora de votar. E adivinhe por que ninguém divulga esta questão (nem o TSE!) ou toma alguma iniciativa para acabar com isto…

O cientista Jairo Nicolau explica bem melhor neste texto: Como votar para deputado.

Do sempre perspicaz Christian Morais, um de nossos top leitores. Por essas e outras.

Atenção no voto, pípol.

Helê

É Primavera

primavera 2010 esse ano tem inicio durante o “equinócio” do dia 23 de setembro exatamente às 00:09hs e terá duração de 89,85 dias. A palavra equinócio vem do Latim e significa noites iguais, ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo.

Depois das imagens do dia da árvore, e da que saudou Setembro, escolhi essas para receber a Primavera, na expectativa que as pessoas também possam florescer e desabrochar.

Via Deviantart

The Flower Girl Team, Cris Harrison

Helê

%d bloggers like this: