Favor

Ele é uma das pessoas mais educadas e gentis que conheço – e aí não exagero nem arredondo. Quem tem o privilégio de privar da companhia de Claudio Luiz o sabe. Fazendo uso dessas qualidades, o Príncipe pediu-me que separasse para ele umas músicas mineiras. Coisa pouca, ele disse, que não me desse trabalho, 3 ou 4 apenas, que servissem de fundo para determinada tarefa, envolvendo mineirices outras.

Pois ele foi tão cuidadoso, insistiu tanto para que eu não tivesse trabalho, que preciso contar aqui o tanto que me ocupou. Por causa desse singelo pedido eu passei boa parte do dia – que tinha tudo pra ser muito insosso, já que me recuperava de uma gripe muito forte – me divertindo: pesquisando, botando a mula pra trabalhar, ouvindo Toninho Horta, Skank, recuperando a única música do Pato Fu que eu gosto, fuçando tanto aqui e ali que cheguei até no Pena Branca e Xavantinho (soube que o primeiro era paulista, mas o segundo é de Uberlândia, uai). Conheci um pouco mais o Uakti (dica vinda de Paris!), reencontrei o povo todo do Clube da Esquina: Lô Borges, Beto Guedes, Milton – que em algum momento ficou meio datado, mas que tem muita coisa bela e atemporal. Nesse caminho, esbarrei numa moça chamada Luciana Souza, belíssima voz brasileira radicada nos EUA, e baixei umas coisas dela pra conhecer melhor depois.

E ainda teve mais. Já à noitinha resolvi colocar um cd do Milton, claro, pra manter o clima. E peguei “O planeta blue na estrada do sol”, que não ouvia há muuuuito tempo. Foi como reencontrar um amigo que não via há anos. Aos primeiros versos de “Veveco, panelas e canelas” eu me emocionei: “Eu não tenho compromisso/eu sou biscateiro/que leva a vida como um rio desce para o mar/fluindo naturalmente como deve ser/não tenho hora de partir nem hora de chegar”. Será que esses versos dataram mesmo ou expirou em mim esse frescor? Mais adiante, uma comovente leitura de “Luar do Sertão” – o sertão mineiro, o de Rosa, daquele céu inacreditável -, e então eu novamente me emocionei, quase às lágrimas, com a interpretação do Milton para Estrada do Sol: “É de manhã/vem o sol mais os pingos da chuva que ontem caiu/ainda estão a brilhar… me dê a mão/ vamos sair pra ver o sol”. Sei não, fosse mais cedo e eu era capaz de sair por aí, sem pensar no que foi que sonhei, que chorei, que sofri.

Por causa desse favor, Cláudio, tive o trabalho que mais me dá prazer, que é mexer com música. E de quebra passei um domingo agradável com a minerada toda aqui, enchendo minha casa de música e poesia – que mais que eu podia querer, sô? Eu é que te agradeço, Claudim, o prazer foi meu.

Helê

PS: De quebra ainda inspirou o post, que eu andava já preocupada com ele mesmo, Cláudio, que me puxa as orelhas quando abuso do copy&paste!

Anúncios

4 Respostas

  1. senti falta do Paulinho Pedra Azul na lista, rs;

    Menina, sabe que eu não conheço? Acho que quando ele apareceu eu já tava mais velha – ou mais cínica, ou os dois – e acabei ouvindo falar mas não conhecendo.
    Beijo!
    Helê

    Gostar

  2. Ah, eu também adorei a mineirada te fazendo companhia…E a música do “biscateiro” é uma de nossas prediletas, cantamos a plenos pulmões, eu e o Maurício.
    Beijos,
    Fefê

    Tá vendo como vcs mineiros me emocionam? Ai, Fefê, só pode ser muito feliz um casal que canta junto essa canção! É o meu desejo e torcida, vc sabe.
    Beijo pro dois,
    Helê

    Gostar

  3. ó! tirando a minha parte, o post está ótimo. Eu acho bem melhor que as “frases de efeito” ou “filosofia oriental”. Não que não possam ter, of claro (se vc me permite imitar-lhe), afinal o blog é seu. Mas que seus textos são ótimos, isto são.
    Ganham até pão de queijo da Baronesa. Melhor irmos comer logo, afinal, não é todo que se pode entrar na casa grande. (Oi, Fer!)
    Obrigadíssimo.
    A apresentação será ótima. O problema vai ser atender a fila pedindo copia do set musical ;o)

    Gostar

  4. Ô gente, que coisa boa saber que o pessoal da terrinha te deixou mais feliz!! Beijos mineiros com cheirim de pão de queijo procê e pro Claudim tbem, uai.

    Ô coisa bom esse afago, Fer. Só fez aumentar minha saudade dessa terra.
    Brigadim, beijim procê também.
    Helê

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: