Diálogos carnavalescos

– Vou mais tarde hoje, tô cansada. Ontem fui ao “Desculpe o transtorno”, ao Baile do André e fiquei na merda.

– Fiquei na merda é um bloco ou foi você?

***

– Que fantasia é essa?

– Eu tô de Dalila

– Ah, do Sansão…

– Não, a da música: “Eu sou Dalila, não vou negar…”

***

– Cara, num é que a Ivete Sangalo pariu no sábado de carnaval?

– E foi pra avenida depois?!

Bom carnaval pra geral!

Helê, of claro

Falta

O Facebook oferece diariamente fatias de memória, em geral saborosas porque lá a gente mostra mais o lado A da vida. Há semanas salpicam confetes e serpentinas na minha timeline, registros passados da ofegante epidemia que há muito me contagia e à qual me entrego com fervor, o carnaval. Também tenho sido lembrada de textos que escrevi sobre esse momento, sempre encantado para mim, ora sobre a expectativa e ansiedade de aguardá-lo; ora sobre o deleite e o banzo de tê-lo vivido plena e cariocamente.

Mas não sei se o FB terá algo a mostrar para mim nas próximas edições do túnel do tempo, porque neste ano a centelha ainda não acendeu. Pode ser que ainda aconteça – ano passado eu saí da apatia para a barca de Paquetá atrás do Pérola da Guanabara, me lembra D. E eu tenho um nome a lazer, como se sabe. Mas aquele desejo genuíno e indomável encontrar os amigos, sair à rua e brincar, rir dos outros, do improviso, do imprevisto, da vida, em resumo, não apareceu.

O que falta? Tenho uma forte suspeita relacionada um ingrediente fundamental. As do passado ou não cabem ou estão muito gastas; faltam recursos – financeiros, criativos – para novas. Então acho que isso explica a razão do meu desânimo para o carnaval este ano: estou sem fantasia.

Pun intented.

1196_1

Helê

Roteiro para brincar o carnaval

350fe704b0e15c202d6d82e5761634c4
Tenho um nome a lazer, como já disse aqui algumas vezes. Uma reputação conquistada depois de quilômetros de serpentina, nuvens de purpurina, confetes grudados na alma até hoje, desfiles sob o sol inclemente e debaixo de chuvas desnecessárias. Porres e perrengues igualmente homéricos, histórias impagáveis, flertes impegáveis e desfiles memoráveis. Uma folha corrida carnavalesca que inclui a fundação de um bloco* e um vasto acervo de acessórios, memórias e alegrias onde as datas se confundem, mas nada se perde e tudo transborda.

Apesar ou por tudo isso, não sei fornecer roteiros, simplesmente porque não há um mapa secreto com um xis certeiro no carnaval bem-sucedido. Não para esta festa de desacertos perfeitos, inversões e reversões, libertina e insolente por natureza, mas que beleza. No reinado do deboche e do improviso, minhas poucas certezas sambam ao som do primeiro batuque.  O bloco incrível do ano passado pode lotar demais esse ano; aquela fantasia ótima pode não caber; e se o seu parça de folia de repente virou monge? Fora que o nem sei de que lado você samba, vai que é diferente do meu?

12662556_10153883761903351_3572363805172689583_nQuem busca a boa não teme a roubada, então só nos cabe saudar Momo, bater cabeça e pedir passagem, vestir o melhor sorriso e ver aonde nossa fantasia vai nos levar. Encontre com amigos bacanas e bacantes, que carnaval se conjuga no plural e em todos os tempos do verbo brincar. Ouça o batuque do coração e sinta o pulsar do bloco que passa: se o corpo mover, vai que é tua, mesmo se te faltar a graça da passista ou o garbo do mestre-sala. A ordem do rei ordem é brincar quatro dias sem parar – principalmente de ser feliz .

Depois, mesmo se não for assim uau, basta escolher bem as palavras e contar bem contadinho. Vão achar que você sabe tudo de carnaval e até te pedir um roteiro no ano que vem. 😉

Evoé, Momo! Bom Carnaval pra geral.

Helê

 

*Para quem  não conhece, veja aqui a ata de fundação do Me Chama que Eu Vou, que vai completar sete anos e conta este ano com reforço importado da terra da Rainha.

**Na foto, eu de porta-estandarte no Escravos da Mauá, desfile deste ano. Pinto no lixo define.

Carnavalesco

tumblr_njojacgWu21rxemqao1_1280

 

(Do tumbrl Vida Baiana)

Da série “Corações”

Bom carnaval – divirtam-se!

Evoé Momo!

Helê

Pastilhas Garota* e confetes de sabedoria

hortelaFoi mais um carnaval memorável este que se encerrou havia terminado com o  Último Gole, um bloco de excelentes músicos e refinado repertório que se apresenta na Lagoa. Coerente com um carnaval de blocos poucos e bons.

*

Quando pensei que tinha acabado rolou uma espécie de repescagem e lá foi o Me Chama para o desfile das Campeãs no sábado. Encaramos a chuva com fleuma britânica e o open bar com know how carioca. Vou te contar: eu não tô acostumada com mordomia, mas aprendo rápido, viu?

*

“Periguete não sente frio, folião não sente calor”.  Gobbi, N.

*

Não parasitei com o Garbosos, desencontrei de meu parceiro mais fiel, Indiana. Em compensação, brinquei o carnaval inteiro com a pessoa que mais se assemelha a mim na maneira de ver, sorver e sentir o carnaval, que é a Manu, a musa do Me Chama que Eu Vou. Fomos muito felizes.

*
Você sabe que é um corredor quando… vai comprar pão em pleno carnaval de manhã cedo, olha a Lagoa e pensa: “Até que dava pra dar uma corridinha!”.

*

“Cuíca de bêbado não tem dono”. Troina, M.

*

No dia da padaria, acordei com a cabela revolts. Não tinha elástico, boné ou lenço. Considerei seriamente ir comprar pão de peruca. Mas não sabia de botava a loira, a ruiva ou a black. Sorte que apareceu um frufru.

*

“Isso mesmo, quem ama cuida!”, disse a garota apoiando a outra, que abanava o  músico gato no bloco.

*

Quando vejo na rua, no restaurante, no ônibus, uma pessoa totalmente à paisana durante o carnaval, sem nem uma estrelinha, acho estranhíssimo, tenho que me controlar pra não perguntar ‘Tá tudo bem, precisa de alguma coisa, quer uma purpurina, fio?”

*

“Mermão, em fim de festa guardanapo é bolo!” Anônimo, no fim do bloco “Volta, Alice”

*

Carnaval é: tirar a roupa pra tomar banho, encher o banheiro de confete, purpurina e cair quinze reau do sutiã.

*

Existe carnaval após o casamento. E existe casamento após o carnaval!” Bacelar, A.

*

Quarta-feira de cinzas passou em 30 minutos, já a quinta durou 48 horas. Lamento informar, mas esta semana vai durar 15 dias.

carnaval 2014

Helê

*Porque Drops, só da Fal.

Evoé!

Não se deixem enganar por calendários, convenções, autoridades (argh): o carnaval já começou. Apesar da insensibilidade dos clientes que marcam reuniões, da inocência de professores que esperam atenção, da frieza de chefes que mantêm expedientes, da rigidez de cônjuges que pleiteiam exclusividade, o entrudo (uia!) já se instalou no coração dos homens e mulheres de muito boa vontade e alegria ainda maior. Desfraldado o Estandarte do Sanatório Geral. Então, por favor, não me venham com realidade, seriedades, gravidades. Como diz Juan Luiz Guerra na canção que eu adoro, “ya no me importa si hay luz en el barrio o aumentará la inflación”. Não esperem minha adesão a nada que não envolva samba, fantasia, gargalhadas y confetes. Enquanto os homens exercem seus podres poderes, vou buscar leveza e graça porque meu coração já se agita e palpita mais ligeiro. Vou ali brincar o carnaval com a minha turma – e modéstia parte, “nossa gente é quem bem diz é quem mais dança”. Bom carnaval pra geral!

Imagem*

Helê – quem mais? 😉

*Essa é uma gif animada, ou deveria ser

Banzo

prettyboy

(sonofafieldnegro reblogou forevableedinggold)

Jura que o carnaval JÁ acabou?! Não tô acreditando… #comolidar?

Helê

%d bloggers like this: