Acadêmicas

Seguindo o conselho da La Outra, matriculei-me em uma das melhores, se não na melhor cadimia do bairro. Segundo ela, se o sofrimento é inevitável, que seja vivido com o máximo de conforto, se possível com algum luxo (ou algo assim). Monix tinha razão: faz toda diferença não ter que esperar a vez na esteira ou exercitar-se em aparelhos descascados e defasados. Já são muitos meses de freqüência assídua. Se não consegui emagrecer, pelo menos venci o sedentarismo – o que não é pouco.

***

Logo de cara tive uma excelente impressão da cadimia: fui atendida por uma professora negra. E logo percebi que ela não é a única. Só então me dei conta que em todas as outras academias em que estive (e não foram poucas) eu nunca havia tido nenhum professor negro – a não ser na capoeira. E numa aula de…lambaeróbica. Pano rápido. Abafa o caso.

***

Academia, não sei se vocês sabem,  mudou muito. Não é mais lugar de gatinhas e gatões em que você, gorda ou gordo, se esconde numa camisa extra larga, torcendo pra que ninguém bote reparo em você. Ou pelo menos não é mais isso, por uma razão simples: os velhinhos da terceira idade, que invadiram o pedaço e mudaram o clima. Pra melhor, eu diria.

**

E olha, cadimia é o último lugar do mundo onde eu procuraria uma paquera, se quisesse uma. Porque lá eu não posso exibir minhas idéias bem torneadas, meu raciocínio definido,  minhas piadas saradas ou meu gingado balanceado. Mesmo assim, eu simplesmente não consigo entender essa onda segregacionista de academia só pra mulheres. Porque, eu já disse a vocês: eu não tô na pista, mas adoro assistir a corrida.

 

Helê

Advertisement

8 Respostas

  1. eheheheeheheheh
    Helê, decididamente você é necessária.
    O post tá óooooooooooooooooooooooootimo.

    Gostar

  2. Helê, essa sua frase é sensacional! “Eu não tô na pista, mas adoro assistir a corrida” hahaha Muito boa, como lhe é peculiar. Olha, eu enchi o saco de academia, embora saiba que é extremamente necessário. Mas, procuro me exercitar de outras formas que me são mais aprazíveis como, por exemplo, yoga e corrida no parque. Tenho pensado em fazer escalada ou algo não tão convencional. Mas, confesso que com esse friozinho é dureza fazer qualquer coisa ao raiar da aurora. Você está de parabéns pela perseverança!
    Beijos.

    Gostar

  3. Helê, eu até gosto (um pouco) de academia, mas meu lema é igual ao da Monix: se é pra sofrer, que seja com estilo…
    Beijos, Fridas!

    Gostar

  4. Eu tenho aversão a academia … mas seu que eu não devia …
    Não sei se as academias que frequentei não ajudaram muito mas simplesmente não consigooooo !! Ai que vergonha hauhau

    Gostar

  5. eu namorei todos os professores de ginástica e musculação que tive. Ô saudade… :P

    Gostar

  6. Nem foi de propósito, mas sempre que frequentei academias, acabava tendo como colegas o pessoal da terceira idade. E a vergonha que elas esticam mais que eu?

    Gostar

  7. Aaaaaahhhh, eu preciso entrar na cadimia também! Conte tudo, conte das aulas, conte como está evoluindo. Quem sabe eu me animo a entrar também! ;-)

    Gostar

  8. Helê,
    você é muito divertida. E escreve deliciosamente bem!
    beijos
    Ly

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: